O apresentador do “Watch What Happens Live”, Andy Cohen, utilizou o novo episódio do programa para compartilhar a indignação ao ser barrado na doação de plasma por ser gay.

De acordo com Cohen, apesar da crescente demanda por doações daqueles que se recuperaram do coronavírus, ele foi informado de que era inelegível por causa de “diretrizes antiquadas e discriminatórias da FDA” para prevenir o HIV.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Os Estados Unidos relaxaram no dia 2 de abril as regras que impediam muitos gays de doar sangue. Trata-se de um esforço para combater a grave escassez de doações devido ao surto da covid-19. Desde 2015, homens que fizeram sexo com outros homens nos últimos 12 meses não eram autorizados a doar sangue. Anteriormente, esta proibição era vitalícia. 

 

VEJA TAMBÉM:  Cinequarentena: 10 filmes LGBTQ+ para você assistir na Netflix

No vídeo, o apresentador ainda observa que todo o sangue doado é testado para o HIV há anos, e que já existem testes rápidos para obter os resultados em 20 minutos ou menos. Ele ressalta também que “as novas regras exigem que os gays se abstenham de fazer sexo por três meses, estejam eles em um relacionamento monogâmico ou não, antes de doar sangue. Embora não existam restrições gerais para pessoas de outras orientações sexuais”.

“Por que os membros da minha comunidade estão sendo excluídos de ajudar quando tantas pessoas estão doentes e morrendo?”, lamenta Cohen.

Foto: Divulgação/ Instagram

VEJA TAMBÉM:  Desserviço! Leonardo é detonado após comparar Coronavírus com HIV em piada de mau gosto