Christian Council, um corretor de imóveis da cidade de Oklahoma, nos Estados Unidos, ficou inconsciente na semana passada depois de ser agredido por dois homofóbicos.

Ele e um amigo estavam chegando em casa de carro no início da manhã de sábado, quando perceberam um carro parado bloqueando seu caminho para estacionar o carro.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Depois de tocar a buzina duas vezes, o carro finalmente se mexeu e ele conseguiu se mover em direção a vaga onde deixaria o veículo: “Meu amigo e eu saímos do meu carro. Um homem e uma mulher estavam esperando atrás e quando viram e ‘como éramos’,  disseram: ‘Quer dizer que vocês são um casal de bichas?’, isso só por sermos dois amigos gays”.

Segundo o relatório da polícia, daí não demorou muito tempo para tanto a mulher quanto o homem, que eram um casal, se aproximarem e começarem a agressão.

VEJA TAMBÉM:  Homofóbico, vereador sugere proibir Parada LGBT e internautas reagem

Christian foi espancado e ficou deitado no chão quase inconsciente. A polícia felizmente chegou rapidamente com todos os envolvidos ainda no local.

Christian ficou ensanguentado e machucado, com um corte abaixo do olho direito e inchaço na cabeça e no corpo. Ele diz que o inchaço diminuiu, mas ainda tem dificuldade para respirar normalmente.

“Estou com muita dor”, disse Christian ao Oklahoma News. “Nunca esquecerei a sensação do meu pescoço estalando para frente e para trás toda vez que ele batia em ambos os lados da minha cabeça.”

Christian diz que o casal gritou insultos homofóbicos durante todo o ataque, um detalhe importante que não foi mencionado no relatório da polícia. Ele acredita que essa foi sua principal motivação.

Os dois suspeitos foram identificados como Amery Dickerson e Bennett Stone. O casal foi preso por agressão, mas foi libertado em seguida.

VEJA TAMBÉM:  Sem dó, apresentador do Cidade Alerta rebate homofobia de telespectador; assista

Assista abaixo a reportagem do Oklahoma News denunciando a agressão homofóbica à Christian:

Em seu Facebook, Christian postou no dia seguinte ao ataque: “Ontem à noite fui agredido. Quando eu estava entrando no estacionamento, havia 4 pessoas em uma caminhonete estacionada bem no meio do caminho. Parei e esperei um segundo e depois buzinei para se moverem dali. Depois que eles finalmente se mexeram, estacionei. Eles me seguiram e esperaram que eu saísse do meu carro. Uma vez que fiz isso, dois deles chegaram com insultos homofóbicos gritando e logo se iniciou a agressão física. Eu tentei muito revidar, mas estava em desvantagem. Os dois que me venceram eram um homem e uma mulher. Eles deram socos, joelhadas e me chutaram até que eu ficasse quase inconsciente. Felizmente, alguém chamou a polícia e 2 deles foram presos. Meu corpo e minha cabeça estão destruídos. Contusões e inchaço em todos os lugares, e uma concussão. Acabei de chegar em casa do hospital. Ficarei com dor por um tempo, mas vocês me conhecem. Nada pode me deixar deprimido por muito tempo”, desabafou.

VEJA TAMBÉM:  DOIS ANOS: tempo que levou para polícia investigar ataque homofóbico na Armênia

Veja abaixo seu post original:

Last night I was attacked. As I was pulling into my parking lot, there were 4 people in a big truck parked in the middle…

Posted by Christian Braden Council on Saturday, June 27, 2020

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).