o Ministério da Educação da China está planejando aumentar as aulas de educação física nas escolas para forçar a “masculinidade” de meninos “afeminados”. As informações são da Reuters.

O governo chinês busca ampliar a contratação de educadores físicos, mas o plano tem gerado polêmica no país asiático. Enquanto alguns insistem que o plano promove ideias prejudiciais e discriminatórias sobre a masculinidade, outros apoiam totalmente a ação.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
China lança plano absurdo pra forçar masculinidade em meninos afeminados
China lança plano absurdo pra forçar masculinidade em meninos afeminados (Foto: Corbis via Getty / Jie Zhao)

Um internauta escreveu: “É difícil imaginar que meninos tão afeminados possam defender seu país quando uma invasão externa se aproxima.”

A estudiosa feminista Li Jun disse: ” A proposta representou alguns estereótipos sobre a masculinidade masculina, o que é contra a igualdade e a diversidade de gênero, pois considera ser afeminado algo negativo e perigoso, enquanto a masculinidade é positiva para a nação chinesa.”

O conceito “crise de masculinidade” na China explodiu nos últimos anos, e o país tem visto crescer os campos de treinamento para meninos, alegando transforma-los em “homens de verdade”.