Mais um caso bizarro de crime envolvendo Grindr e outros aplicativos de encontros gays. Um casal foi acusado de assassinar um dançarino campeão irlandês envenenando-o com uma substância conhecida como ”Sopro do Diabo” após conhecê-lo através do Grindr.

Em junho de 2019, a polícia chegou a emitir um alerta de segurança urgente para usuários do Grindr depois que Adrian Murphy, de 43 anos, foi encontrado morto em sua casa em Battersea, em Londres no Reino Unido.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O júri do tribunal ouviu na última terça-feira (29 de setembro) que Diana Cristea, 18, e Joel Osei, 25, conheceram Murphy no Grindr, e que ele convidou Osei para ir ao seu apartamento em Battersea. Tudo teria acontecido no dia 1º de junho, de acordo com o Yahoo News.

O procurador Crispin Aylett disse que no dia seguinte, quando Murphy já devia estar morto, o casal tentou sem sucesso usar seu nome para comprar 80 mil dólares (mais de 36 mil reais) em diamantes de um joalheiro de Nova York.

VEJA TAMBÉM:  Família de jovem assassinada junto com a namorada pede ajuda

O corpo de Murphy foi encontrado em 4 de junho por seu melhor amigo, e 2 mil libras (mais de 14 mil reais) em bens, incluindo uma carteira, laptop e bolsa Louis Vuitton, que estavam desaparecidos do apartamento.

Adrian Murphy: assassinado por casal que conheceu no Grindr (Foto: Reprodução / Facebook)
Adrian Murphy: assassinado por casal que conheceu no Grindr (Foto: Reprodução / Facebook)

Durante uma autópsia, foram encontrados traços da subtância conhecida como “Sopro do Diabo”, que na realidade é uma droga escopolamina que vem da família da planta beladona mortal. Traços da droga também foram encontrados em uma lata de Coca-Cola e um copo no apartamento de Murphy.

Aylett disse: “Na América do Sul, e em particular na Colômbia, a droga é conhecida tanto por ladrões quanto por estupradores que usam para incapacitar suas vítimas, deixando-as profundamente inconscientes por longos períodos de tempo.

“Na Colômbia, eles não chamam de escopolamina, na Colômbia eles chamam de‘ o sopro do diabo’.”

VEJA TAMBÉM:  Motorista homofóbico da 99 se recusa a “fazer corrida pra viado”

O casal ainda é acusado de matar um outro homem sem identificação revelada, que conheceram no aplicativo de encontros Grindr. A outra vítima foi envenenado em 30 de maio de 2019, e 2 mil libras (mais de 14 mil reais) em bens foram roubados dele.

Crispin Aylett QC disse que, assim como Murphy, Osei encontrou a vítima pessoalmente com Cristea “incitando-a”.

O tribunal ouviu que Osei se autodenominava “Remy” no Grindr e a vítima ficou desapontada quando ele chegou em sua casa em Londres e não parecia mais interessada em sexo.

Osei supostamente serviu um copo de suco de laranja para a vítima enquanto ele estava no banheiro, mas logo após beber, a vítima começou a se sentir “sem fôlego” e desmaiou, sendo encontrada por um vizinho que chamou uma ambulância. Novamente, vestígios de escopolamina foram encontrados em uma amostra de seu cabelo.

Poucos dias antes dos dois incidentes acontecerem, Osei ainda foi preso por tentar vender comprimidos de cafeína como drogas em um festival de música.

VEJA TAMBÉM:  Grindr está compartilhando status de HIV de usuários com empresas

Na época, o tribunal ouviu, Cristea mandou uma mensagem para ele e escreveu: “Quando você voltar, podemos nos concentrar na coisa do gengibre e nos seus garotos malucos.”

“Não está claro o que se entende por ‘a coisa do gengibre’, mas estava ‘claro’ que o casal se referia às suas vítimas: os homens gays”, disse Aylett.

Ele acrescentou: “A acusação alega que os dois réus eram uma dupla de vigaristas implacáveis, golpistas que buscavam ganhar dinheiro fácil a qualquer custo para suas vítimas, em especial nestes casos, homens gays que marcavam encontros por aplicativo”.

Cristea e Osei negam o assassinato de Murphy. Cristea admitiu uma acusação de fraude, mas negou duas acusações de roubo e seis acusações de fraude. Osei negou duas acusações de roubo e oito acusações de fraude.

O julgamento continua na Justiça.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).