Um adolescente russo de 19 anos  foi forçado a cometer auto-estupro diante das câmeras depois de criticar o tirano homofóbico Ramzan Kadyrov, responsável pelo “expurgo gay” na Chechênia.

Adolescente é forçado a auto-estupro por criticar tirano homofóbico
Autoridades chechenas são suspeitas de manter campo de concentração para pessoas LGBTQIA+ | Foto: Reprodução/Internet

O rapaz era moderador de um grupo do telegram contrário ao governo da República Russa da Chechênia, região controlada por Kadyrov.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O vídeo foi divulgado na segunda-feira, dia 8, e rapidamente se tornou um viral nas redes sociais russas. Nele o adolescente é forçado a pedir desculpas por criticar o regime.

De acordo com o The Daily Beast , a filmagem mostra o adolescente nu se desculpando na língua chechena, virando as costas para a câmera e em seguida sentando-se sobre uma garrafa vazia, em um ato de auto-estupro. Segundo a matéria, essas punições são comuns a quem ousa criticar Kadyrov e sua milícia.

O vídeo do auto-estupro gerou revolta e apelos a uma ação contra o regime brutal do líder checheno. Ekaterina Sokirianskaya, diretora do Centro de Prevenção e Análise de Conflitos de vigilância da mídia, relatou que foi bombardeada com mensagens de cidadãos chechenos de todo o mundo.

VEJA TAMBÉM:  Documentário sobre repressão a gays na Chechênia estreia hoje no streaming; veja o trailer

“As pessoas estão furiosas, muitas ligam para pegar em armas; Também posso ver mensagens de outros cidadãos no norte do Cáucaso dizendo que, se os chechenos tolerarem isso, eles foram moralmente assassinados”, disse ela.

Não há registro de qualquer resposta dos líderes da Rússia ou da Chechênia.