O corpo da ativista lésbica Yelena Grigorieva foi encontrado na cidade de São Petersburgo, na Rússia, no último domingo (21). Poucos dias antes do crime, ela já havia registrado várias ocorrências em que relatava sofrer ameaças com motivações homofóbicas de um homem.

Segundo a polícia russa, o corpo da ativista estava há poucos metros da sua casa, com inúmeros ferimentos causados pelo assassino. De acordo com a mídia, as investigações apontam que o crime foi cometido por um homem de 40 anos, morador da região de Bashkiria.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Por meio de postagens nas redes sociais, amigos da vítima acusam às autoridades russas de negligência, já que, antes do crime, ela havia feito várias denúncias sobre as ameaças que estava recebendo.

Vale lembrar que, a Rússia é abertamente um lugar LGBTfóbico e intolerante. No país, existe até uma lei anti-gay, que proíbe celebrações sobre a diversidade.

VEJA TAMBÉM:  Samira Close é ameaçada de morte durante partida de Free Fire: “Se todo viado fosse igual a você, eu matava”