A morte violenta de um conhecido ativista gay na capital grega de Atenas chocou a comunidade local LGBT local, que agora está exigindo justiça para Zak Kostopoulos, que tinha apenas 33 anos.

As circunstâncias da morte de Kostopoulos, que nasceu nos EUA, mas cresceu na Grécia, na tarde de 22 de setembro, ainda estão sob investigação, mas imagens editadas das câmeras de segurança divulgadas online e mostradas na televisão, mostram o ativista sendo linchado por um grupo de pessoas.

No vídeo, Kostopoulos é visto preso dentro de uma joalheria na rua Gladstonos, perto da central Praça Omonia. Ele estava segurando um extintor de incêndio tentando sair pela porta da frente da loja quando uma multidão começou a se reunir do lado de fora, incluindo o dono da loja.

Não conseguindo se libertar, Kostopoulos tentou sair pela janela da loja, o que fez com que ele caísse de joelhos. Enquanto ele se arrastava através do vidro quebrado, o dono da loja e outro homem parecem chutá-lo repetidamente, dando um chute final na cabeça de Kostopoulos deixando-o deitado na calçada.

Nesse ponto, alguns transeuntes intervieram para defender Kostopoulos. De acordo com as informações da imprensa local, a polícia estava na proximidade do incidente, mas não conseguiu intervir.

A visão do corpo de Kostopoulos, ainda no chão, é quase toda ocultada pelo grupo de homens reunidos em volta dele, alguns dos quais ainda podem ser vistos parecendo chutá-lo. A filmagem termina com Kostopoulos cercado por policiais e recebendo atendimento dos paramédicos, deitado de lado em uma maca, com os braços para trás como se estivesse algemado. Ele morreu antes de chegar a um hospital.

O episódio de violência dividiu opiniões na Grécia, onde muitos acreditam que a reação ao que Kostopoulos fez ao ficar preso na loja foi desproporcional, mas outros acreditam que o dono da loja estava certo em defender sua propriedade.

As publicações de notícias locais inicialmente se referiam a Kostopoulos como um “viciado em drogas” que estava tentando roubar a loja e estava “armado com uma faca”, mas seus amigos rejeitaram fortemente essa representação.

O ativista LGBT + Gregory Vallianatos escreveu em sua página no Facebook que Kostopoulos entrou na loja buscando refúgio de uma ameaça não especificada que ele enfrentou em uma loja do outro lado da rua.

Outro amigo de Kostopoulos, Stavros Tsioros, lembrou o ativista como “um grande lutador pelos direitos da comunidade LGBT +”. Kostopoulos frequentemente se apresentava como drag sob o nome de Zackie Oh e sempre falava sobre sua experiência de viver como soropositivo em palestras e comícios. “Você não mata [alguém] assim”, acrescentou Tsioros.

Um relatório do legista não deu nenhuma explicação clara sobre o que houve com Kostopoulos e sugeriu que mais testes seriam necessários para esclarecer a causa da morte. O relatório descreveu o corpo da vítima como exibindo vários ferimentos leves e insuficientes para causar sua morte, informou a CNN da Grécia.

Flores e velas foram colocadas em frente a  joalheria onde Kostopoulos foi espancado até a morte no centro de Atenas. (Angelos Tzortzinis / AFP / Getty)

A policia prendeu o dono da loja e abriu um processo criminal contra ele por infligir danos corporais fatais e por participar do linchamento de Kostopoulos. O outro homem que aparece no vídeo chutando o ativista ainda não foi preso, mas é procurado pelas autoridades.

Assista também: