As investigações sobre a morte da ativista LGBT russa, Yelena Grigoryeva, que foi encontrada morta depois de ter sido esfaqueada em várias partes do corpo, estão prestes a revelar uma verdadeira história de filme de terror. Em depoimento, amigos da vítima denunciaram um site chamado SAW, inspirado na franquia de filmes: Jogos Mortais.

Vale ressaltar que, três dias antes de ser assassinada, a ativista havia exposto o site por meio do seu perfil no Instagram. De acordo com as denúncias, o veículo funciona expondo nomes e endereços de ativistas LGBTs russos, promovendo uma verdadeira caça à comunidade LGBT do país.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Durante uma entrevista à CNN, uma ativista que preferiu não se identificar reforçou as denúncias sobre o site. “Não sabemos quem está por trás do projeto, mas eles coletaram informações pessoais sobre ativistas LGBT, como seus nomes, fotos e endereços, publicaram e pediram que as pessoas os caçassem ou matassem”, afirmou.

VEJA TAMBÉM:  Brunei suspende pena de morte a gays após boicote a hotéis e pressão internacional

Além disso, outra militante LGBT russa, Svetlana Zakharova, também confirmou ao New York Post a existência do site e criticou a negligência das autoridades da Rússia. “As pessoas estão muito preocupadas. Bem, eu diria que o fato deste site existir por tanto tempo, sem qualquer reação das autoridades, é muito revelador”, afirmou.