Mais um grave caso de LGBTfobia no Brasil…

O administrador Marcio Guarnieri, de Florianópolis, falou em seu Instagram sobre o ataque homofóbica que sofreu 3 meses atrás por uma dupla de agressores, o que lhe resultou na perda dos movimentos das pernas e hematomas em todo corpo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ele estava indo de manhã a padaria quando entrou no Parque da Luz simplesmente pra fumar um cigarro. Foi quando ouviu vozes se aproximando dizendo: “Vamos pegar o iPhone desse viado e matar ele!”.

Ele tinha apenas um maço de cigarro no bolso, o que enfureceu os bandidos que lhe deram 2 facadas e lhe empurraram de um barranco.

Não satisfeitos, os agressores foram em sua direção lhe agredir mais: “Caí e eles desceram e me bateram mais. Levaram meu tênis, boné, éculos de sol e 5 reais do troco da padaria. Quebrei 6 costelas, fraturei os acetabulos esquerdo e direito, fraturei o sacro esquerdo, tive uma facada no braço também, socos no rosto, quebraram meu dentes”, contou Marcio em seu triste relato no Instagram.

Foi um morador de rua que passou por ele depois do acontecido e ajudou a pedir ajuda. Ele só acordou as 22 horas no hospital após operarem sua coluna e contarem que ele poderia ficar paraplégico.

VEJA TAMBÉM:  Eleitor de Bolsonaro finge ser gay em aplicativo pra encontrar rapaz e ameaçar matá-lo

Foram 30 dias de cama deitado para começar a tentar andar com ajuda de muita fisioterapia e um andador: “Resolvi mudar minha vida e recomeçar. Me mudei para a um outro bairro Começei a fazer fisioterapia. Comecei a tratar meu psicologico, terapia, hidroginástica, psiquiatria, acumpuntura, dentista. Tudo isso feito por anjos que se comoveram e me ajudaram muito e ainda fazem”, relatou.

Agora ele já consegue andar curtas distâncias sem as duas muletas que antes eram necessárias para qualquer deslocamento.

Marcio finalizou seu post contando sobre seu estado atual: “Completado 3 meses hoje que tudo isso aconteceu e reerguendo. Todos amigos me abandonaram. Mas ganhei muitos anjos que me colocaram pra cima. Uni pessoas que jamais imaginava, claro que apoio de apenas alguns da familia tive. #homofobiaécrime”.

Veja abaixo seu post na íntegra:

View this post on Instagram

5 de abril (90 dias atras ) desse ano, as 9:40hs da manhã eu fui a padaria. Eu morava na Felipe Schimid ao lado ho Hotel Mercuri Bom entrei no parque da luz para fumar um cigarro, epoca eu fumava. eu ouvi uma voz: Vamos pegar o I-phone desse viado e matar ele Eu nem olhei para traz, mesmo porque nem celular estava comigo e muito menos tinha i-phone. Viram o maço de cigarro no bolso da bermuda e acharam que era celular. Senti 2 facadas na bunda e escureceu tudo e me empurraram em um barranco que tem la. Uns 10 metros de altura. Cai, eles desceram me bateram. Levaram meu tenis, bone, oculos de sol e 5 reais do troco. Quebrei 6 costelas, fraturei os acetabulos esquerdo e direito, fraturei o sacro esquerdo, tive uma facada no braço tambem, socos no rosto, quebrarm meu dentes…. Fiquei ali desacordado e de repente veio um morador de rua vindoe saiu para pedir ajuda. Acordei eram 22 horas no hospital sem saber quem eu era. Dia 7 de abril operaram minha coluna e disseram que eu ia ficar paraplégico. Nao sabia ainda dos acetabulos que nao operaram. Me deram alta no dia 10 de abril. E ai descobri tudo que não conseguia mais ficar em pé e que deveria fazer fisioterapia e tentar voltar a andar. Durante 30 dias deitado vendo um mundo de uma cama para o teto. Apos isso nao consegui mais morar la. Foi onde comecei a me levantar e e começar a andar com um andador. Meu primeiro banho um anjo meu amigo. Resolvi mudar minha vida e recomeçar. Me mudei para a um outro bairro Começei a fazer fisioterapia. Comecei a tratar meu psicologico, terapia, hidroginástica, psiquiatria, acumpuntura, dentista. Tudo isso feito por anjos que se comoveram e me ajudaram muito e ainda fazem Me levantei. Estou em pé novamente. Começei com andador, 2 muletas, e uma muleta, agora comecei a fazer caminhada em volta de casa sem nenhuma, mas ainda nao da. Muitas dores peo corpo ainda Completado 3 meses hoje que tudo isso aconteceu e reerguendo. Todos amigos me abandonaram. Mas ganhei muitos anjos que me colocaram pra cima. Uni pessoas que jamais imaginava, claro que apoio de apenas alguns da familia tive. Entre outros nunca e nem se preocuparam como foram enterratados. 👊💪🙏 #homofobiaécrime

A post shared by Marcio Flavio Guarnieri (@marcio_guarnieri_oficial) on

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).