VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Christopher Keys, de 56 anos, teve sua orientação sexual exposta publicamente após marcar um encontro com um garoto de programa e acabar caindo em um assalto. Ao chamar a polícia para relatar o crime, acabou sendo indiciado por “solicitação de sodomia” e teve o ocorrido divulgado pelo departamento de polícia.

De acordo com o relato da vítima, dois homens mascarados bateram na porta, o detiveram sob a mira de uma arma e roubaram sua carteira, chaves de casa e do trabalho, carro, e um telefone celular. Após o prender, a polícia também postou mensagem no Facebook detalhando o incidente na íntegra, com o objetivo de contradizer qualquer possível rumor.

O caso ocorreu na Geórgia (EUA), em que “solicitação de sodomia” continua sendo um crime mesmo 17 anos depois que o Supremo Tribunal dos EUA revogou as leis de sodomia que proíbem o sexo gay. A publicação nas redes sociais veio depois que a vítima contou aos amigos uma versão editada da história, na qual ele foi sequestrado e levado ao motel.

MEDIA RELEASE: Clarification Of A Social Media RumorBibb County Sheriff’s Office received an inquiry about an incident…

Posted by Bibb County Sheriff's Office on Thursday, May 21, 2020

“Keys afirmou aos policiais que deveria encontrar um homem no quarto nº 111 de um motel. Uma investigação revelou que Keys era um visitante frequente do Regency Inn & Suites desde janeiro”, afirma a publicação.

O post acrescenta: “Keys disse aos policiais na época do relatório em 19 de maio que não queria que isso acontecesse e que não queria que ninguém conversasse com seus parentes. Keys disse que ia contar ao pai que foi sequestrado de outro local e levado para o motel. “Com base nas informações descobertas no decorrer da investigação, Keys foi preso e acusado de solicitação de sodomia. A delegacia continua investigando o roubo pessoal relatado por Keys”.

A vítima, que queria ficar no armário, trabalhava em uma escola religiosa como professor de estudos bíblicos. Com a exposição pública, ele foi removido do quadro de funcionários da instituição.

Christopher Keys, de 56 anos