Centenas de pessoas serão torturadas por sua orientação sexual em uma chamada “Conferência de Terapia” que está marcada para acontecer na República do Gana, um país da África ocidental.

Moses Foh-Amoaning

Acontece que cerca de 400 voluntários se inscreveram para participar do evento que promete realizar “cura gay” nas pessoas. Criticado pelos poucos ativistas LGBTs locais, o líder Moses Foh-Amoaning, que se auto-entitula um homem de Deus e lidera a iniciativa, disse que homens e mulheres se inscreveram voluntariamente no programa para se submeterem ao que ele chama de “aconselhamento”, portanto, para ele, não há nada de errado.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Vale lembrar que hoje em dia, no Reino Unido e alguns estados americanos, a cura gay já é uma prática proibida por lei. Sabe-se por experiência que as ditas “terapias” de “cura gay” não são nada senão torturas forçando pessoas a mudarem suas naturezas, algo impossível.

VEJA TAMBÉM:  Assassinatos de LGBT+ continuam em Porto Rico com morte de mulher trans

O sexo gay é atualmente punível em Gana por três anos de prisão. Como se não bastasse, Foh-Amoaning quer tornar a terapia de “cura gay” obrigatória como parte da lei: “Vamos tornar nossa punição corretiva em vez de punitiva”, disse ele.

Página do jornal de Gana onde líder exalta sua homofobia.

Em maio, o líder da coalizão nacional anunciou sua campanha para tornar as leis anti-LGBTI mais duras.

“Alguns se tornam homossexuais por causa da pressão dos colegas, razões econômicas, então, os medicamente afetados, como o desequilíbrio hormonal, essas pessoas precisam de ajuda, então forneceríamos tal ajuda através do Serviço de Saúde de Gana”, disse Foh-Amoaning.

Ele também avisou que o projeto é uma resposta à pressão de políticos ocidentais e grupos LGBTI por países africanos para descriminalizar a homossexualidade.

(continua abaixo)


Assista também:


A primeira-ministra britânica, Theresa May, recentemente instou as nações da Commonwealth a repensarem suas leis em torno da questão, alegando que ela “lamenta profundamente” o papel do Reino Unido na promoção da legislação anti-LGBT em todas as ex-colônias. Ela ofereceu ajuda a qualquer país da Commonwealth que acabasse com essa legislação.

VEJA TAMBÉM:  Expurgo gay na Chechênia: pessoas LGBT "violentadas com bastões elétricos"

O presidente de Gana, Nana Addo Dankwa Akufo-Addo, por sua vez, declarou que não haveria nenhuma tentativa de descriminalizar a homossexualidade, enquanto o presidente do Parlamento, Aaron Mike Oquaye, disse que prefere se demitir do que permitir uma legislação pró-LGBTI.

Ativistas LGBT de Gana.

Dos 53 estados membros da Commonwealth, 37 mantêm leis criminalizando as pessoas LGBTI, incluindo Gana.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).