Era 2017 quando a jornalista e palestrante Maíra Reis começou a receber no seu inbox do Linkedin, rede social que promove networking e oportunidades de emprego, currículos de pessoas LGBTs. Influente na rede, ela resolveu enviar esses currículos diretamente para empresas abertas a diversidade e com isso conseguiu incluir pessoas trans em um processo seletivo que estava sendo realizado por uma rede de hotéis na época.

Após uma contratação de sucesso, surgiu a ideia de criar uma plataforma que conectasse a comunidade LGBT+ a oportunidades de emprego. Nasceu assim o Camaleao.co, uma startup voltada a promover empregabilidade de talentos LGBTs em empresas preocupadas em incluir diversidade.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

100% gratuita, a plataforma é simples. Basta preencher um formulário com seus dados e experiências profissionais que seu currículo já fica automaticamente disponível e será encaminhado pra empresas que estejam buscando profissionais na sua área. A startup deixa claro em seu site oficial que não dá “acesso direto a nenhuma empresa / recrutador / recrutadora ao banco de dados” e que todo o processo é feito ás cegas, ou seja, valorizando o talento e a capacidade profissional.

VEJA TAMBÉM:  Pesquisa revela: 38% das empresas têm restrições para contratar LGBTQI+

Durante uma entrevista concedida a Folha de S. Paulo, Maíra Reis comentou que, em parceria com desenvolvedoras mulheres, deve lançar até o final do ano um aplicativo com o intuito de atender especialmente a comunidade trans (que tem um acesso maior a smartphones do que computadores) e também ampliar o serviço para atender cidades pequenas, onde as oportunidades de emprego são menores.