O cantor Leo Santana – que inclusive vem arrasando muito na parceria com Gloria Groove no hit Arrasta – foi responder uma seguidora que o chamou de “gay” em seu Instagram, mas uma tentativa muito bem intencionada de se defender os LGBTs acabou tendo seu tiro saindo pela culatra devido não a homofobia, mas apenas falta de conhecimento do cantor sobre a diferença entre gênero e orientação sexual.

Ao ver a mensagem de uma seguidora sugerindo que “Leo estava parecendo muito gay”, o cantor foi dizer que não tinha nenhum preconceito com gays, “mas que era homem”.


Assista também:


Péra Leo, gays também são homens. São homens, só que também se atraem por homens, são homens homossexuais. Da mesma maneira que você é homem… só que no seu caso, se atrai por mulher, sendo então um homem heterossexual.

Quem não seria homem então? Uma mulher (cisgênero ou trans), uma travesti, ou ainda uma pessoa não binária (que não se enquadra em nenhum dos gêneros homem ou mulher).

Como a gente vive em um país onde educação sexual e diversidade é evitada no ensino, infelizmente é normal acontecer esse tipo de confusão devido a ignorância, mas nem sempre homofobia. Leo, como maior parte dos brasileiros, ignora a diferença de orientação sexual e identidade de gênero. Ser homem é um gênero. Ser gay é uma orientação sexual.

Gênero: é o que eu sou. Orientação é: por quem me atraio. Beleza Leo?

Fora isso, muito sucesso, principalmente na parceria com a Gloria que tá demais!

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).