O nome de Léo Áquilla voltou a circular com força nas redes sociais após terem desenterrado um vídeo antigo onde, em um programa de rádio, ela teria dito em uma entrevista onde citou Pabllo Vittar: “Quem me dera se eu não precisasse ter estudado, se eu cantasse mal e tivesse aí fazendo tanto sucesso (…)”.

Pois bem. Não demorou para vir uma chuva de críticas sobre a fala que foi entendida como se Léo tivesse dito que Pabllo cantava mal e não tinha estudo. Muitos internautas chegaram a falar que Léo estava com recalque ou ainda criticaram a falta de empatia com Pabllo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Respondendo ao post do Põe Na Roda no Twitter, Léo reconheceu que podia ter se expressado de melhor maneira, mas deixou claro que não se referia à Pabllo e errou na colocação.

VEJA TAMBÉM:  Na entrada do Carnaval, "Amor de Que" de Pabllo Vittar tem grande subida no Spotify

“Não me referi à Pabllo quando disse isso. Errei sim, poderia ter me expressado de outra maneira, mas quando falei isso não me referi a Pabllo Vittar e falei sem pensar”, escreveu respondendo a polêmica em seu Twitter onde também deixou claro aos seguidores: “Nunca disse que Pabllo canta mal, vejam o vídeo completo antes de falarem qualquer coisa”.

Ainda falando ao Põe na Roda, Leo explicou a polêmica e reafirmou sua admiração por Pabllo a começar por ambas dividirem a mesma bandeira: “Eu jamais atacaria alguém da minha bandeira, Pabllo é uma inspiração, e alguém digna de respeito, enfrentou muita coisa, e até onde eu sei ela tem SIM estudos”.

VEJA TAMBÉM:  Vídeo de gêmeos dançando “Parabéns” de Pabllo Vittar viraliza na web; assista

“Quando disse ‘Quem me dera se eu não tivesse estudos e voz boa e fizesse sucesso’ estava me referindo a muitas pessoas por aí e foi uma brincadeira, não foi para ela. Mas gostaria de pedir desculpas à todos os fãs da Pabllo Vittar, e peço que vejam os vídeos que faço, sempre falo muito bem da Pabllo Vittar e da importância dela pra nossa comunidade LGBTQ+”, finalizou.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).