Recentemente uma declaração foi assinada por bispos católicos e divulgadas pela Fundação Tyler Clementi, que visa comprometimento em proteger jovens LGBTQI+ de bullying e qualquer tipo de preconceito. “De acordo com o evangelho, Jesus Cristo ensinou amor, misericórdia e a acolher a todas as pessoas, especialmente àquelas que se sentiam perseguidas ou marginalizadas de alguma forma; e acreditamos que as pessoas LGBTQI+  devem ser tratadas com respeito, compaixão e sensibilidade.” 

Jovens LGBTQI+ recebem mensagens de Bispos
Catedral em Amsterdam durante o mês do orgulho (Foto: Unsplash)

A declaração reconhece a grande taxa de suicídios cometidos por jovens LGBTQI+ e confirmam que majoritariamente os motivos seriam a falta de aceitação, marginalização e violência doméstica. “A Igreja Católica valoriza a dignidade dada por Deus a toda a vida humana e aproveitamos a oportunidade para dizer aos nossos amigos LGBT, especialmente os jovens, que estamos ao seu lado e nos opomos a qualquer forma de violência, intimidação ou assédio.”

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

De acordo com o PinkNews, estão no grupo de bispos que assinaram a declaração o Cardeal Joseph Tobin, de Newark e o arcebispo John Wester de Santa Fe.

VEJA TAMBÉM:  Dedinhos Eleitorais | Direitos LGBT

Aumentam o número de suicídios de jovens LGBTQI+

De acordo com o Diário do Nordeste e um levantamento criado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) do ano de 2019, a taxa de suicídios dentro da população LGBTQI+ aumentou em 284%, sendo grande parte por jovens.