O cantor Solimões, da dupla sertaneja Rionegro & Solimões, chamou a atenção da internet e da imprensa essa semana ao comentar as fotos do filho Gabriel com o namorado.

“Deus abençoe oceis!”, postou o sertanejo que sempre demonstrou aceitação da sexualidade do filho. A relação deles ficou ainda mais forte depois que o rapaz, aos 16 anos, saiu do armário para a família e amigos.

“Saber da boca do meu filho que ele é gay tirou um peso das minhas costas. Porque não queria que ele se mudasse para São Paulo (a família mora em Franca, interior de SP) sem me contar algo que sempre soube. Não queria que tivesse uma barreira entre nós, que isso impedisse a gente de conversar abertamente. Quero viver em paz e não viveria se houvesse uma barreira entre o meu filho e eu. Nem eu imaginava que ia saber lidar tão bem com isso. Estou feliz pelo Gabriel”, declarou o cantor em entrevista ao site Universa.

Ele deixou claro que o fato do filho ser gay não altera em nada o amor que sente por ele: “O importante é ter caráter e ser humilde. O homossexual é uma pessoa normal como qualquer outra. Para mim não tem nada de errado. Trato o Gabriel como o meu filho, independente dele ser gay ou não”, afirmou Solimões, reforçando que não temeu como seus fãs receberiam a notícia.

“Não tenho medo de nada. As coisas são como são e não podemos ter medo do preconceito. A vida é muito curta para termos mágoas dos outros, para não vivermos numa boa”, garantiu.

Gabriel disse que se assustou com a repercussão que seu relacionamento com o pai despertou na internet.  Para ele o amor de pai e filho deveria ser algo natural, sem causar tanta comoção: “As pessoas estão enaltecendo algo que deveria ser normal. Estão elogiando a postura do meu pai porque, infelizmente, não tratam a homossexualidade com algo comum. Por que um gay afeminado como eu não poderia ser filho de um sertanejo raiz? Deveríamos ter esse apoio todos os dias, com todos”, afirmou o jovem.


Assista também:


(continua abaixo)


Veja também:


Solimões sempre sofreu preconceito e foi ofendido muitas vezes pela baixa estatura e aprendeu como lidar com esse tipo situação ao longo da vida. Por isso, disse ao filho para usar os comentários maldosos que possam surgir ao seu favor.  Gabriel contou que pai faz questão de falar sobre a orientação sexual dele quando perguntam: “Gabriel, cadê as namoradas?’ Meu pai é o primeiro a dizer que sou gay.”

“Já percebi que não sofro tantos ataques por ser filho dele. Sei que o tratamento que recebo é diferente do que um gay da periferia recebe. Existem outros gays na minha família e eles não são tão bem aceitos como sou. E acho isso bem zoado, me incomoda porque não é justo”, declarou Gabriel reconhecendo sua posição de privilégio diante da homofobia por ser filho de um canto famoso no Brasil.

“Aproveitando o atual momento e a repercussão, Gabriel vem produzindo vídeo documentários sobre diversidade com o objetivo de dar voz para quem não tem: “Quero que todos tenham visibilidade. Quero que os pais olhem seus filhos como pessoas independentemente dos trejeitos. Que não se preocupem com os trejeitos, se sua filha irá se relacionar com homem ou mulher. Isso é só mais um detalhe. O caráter é o mais importante.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).