A imagem de dois policiais brancos, montados em cavalos, conduzindo um homem negro algemado e preso a uma corda para a prisão causou revolta nas redes sociais. O caso aconteceu na cidade de Galveston, no estado do Texas, nos EUA.

Após a viralização da foto, as pessoas começaram a comparar o caso aos tempos de escravidão, quando negros eram expostos a situações vexatórias como essa.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O departamento de polícia da cidade pediu desculpas e alegaram que, no momento da prisão, não havia veículos disponíveis. Em nota publicada no Facebook, eles também reconheceram que a forma como os policiais abordaram o rapaz não foi apropriada.

“Meus policiais não tinham qualquer intenção maldosa no momento da prisão, mas nós mudamos imediatamente a política para prevenir o uso dessa técnica”, garantiu o chefe de polícia Vernon L. Hale.

Hale ainda explicou que o transporte de pessoas capturadas por policias a cavalo é utilizado apenas em algumas ocasiões, como situações em que é preciso conter multidões. No entanto, ele afirmou que, no caso de Neely, foi “uma decisão ruim”.

VEJA TAMBÉM:  Em vídeo emocionante, Netflix reúne atores negros protagonistas na campanha #StrongBlackLead

“Embora esta seja uma técnica treinada e uma boa prática em alguns cenários, acredito que nossos oficiais demonstraram um mau julgamento neste caso e poderiam ter esperado por uma unidade de transporte no local da prisão”, disse Vernon, assegurando que os treinamentos e procedimentos da polícia serão revisados.

Foto: Reprodução

Donald Neely, de 43 anos, foi acusado de invadir uma propriedade privada no sábado (3). Segundo a polícia de Galveston, o homem já era conhecido das autoridades e já havia recebido avisos de que não poderia entrar na propriedade onde foi preso.

Vale ressaltar que, mesmo após a abolição total da escravidão nos EUA, durante a eleição de Abraham Lincoln, em 1860, alguns estados do sul do país, como o Texas, se uniram com o objetivo de manter tradições escravagistas, movimento que ficou conhecido como Estados Confederados da América.

VEJA TAMBÉM:  Michael Gunning, nadador negro e gay, fala sobre racismo no esporte: "Me falavam que 'negros não nadam'"

Além disso, casos de racismo e violência policial contra a população negra ainda permeiam o sul dos Estados Unidos até os dias atuais.