A Igreja Anglicana decidiu permitir o casamento homoafetivo entre seus fiéis no Brasil. A medida já é uma realidade em países como Canadá e Estados Unidos.

Em uma assembleia realizada para decidir a permissão, por 57 votos a favor, 3 contrários e 2 abstenções, a maior parte dos líderes da instituição tomaram a decisão.

Ainda assim, conforme as regras da Igreja Anglicana, cada diocese tem o direito de decidir se aprova as decisões por si. A unidade de Porto Alegre (RS) já decidiu positivamente e vai casar pessoas do mesmo gênero. A próxima a dar este passo deve ser a diocese de Brasília.

Mesmo com uma grande maioria de líderes da Igreja Anglicana brasileira apoiando a decisão, o bispo de Brasília, Maurício Andrade, afirmou acreditar que a medida deve dividir opiniões: “Certamente haverá rejeição, mas nada impede que uma diocese que se disse contra, futuramente mude de posição.”

Ele também lembrou que foram anos de discussão até se aprovar o casamento homoafetivo: “O importante é saber que isso não aconteceu do nada. Em 2013 nos comprometemos em trazer uma decisão sobre este tema em até quatro anos. Ela acaba de acontecer.”


Assista também:


Presente no Brasil há 58 anos, e presente no mundo em 165 países, a igreja anglicana teve seu berço no Reino Unido.

O casamento homoafetivo é um dos pontos que diferencia a Igreja Anglicana da maior parte das igrejas cristãs. Além disso, ela também não impõe celibato aos seus líderes e permite que mulheres se ordenem.

(continua abaixo)


Veja também:



Se não estaria contrariando a Bíblia, ele foi enfático: “Hoje a Bíblia serve para tudo. É usada para dizer o que quiserem. No Velho Testamento, há trechos que mandam cortar a mão de quem rouba. Cortamos a mão de alguém hoje? Não”.

Este não é o único exemplo. A bíblia também diz que mulheres devem ser recatadas e não emitir opiniões ou usar joias, que crianças desobedientes devem ser mortas, que mulheres que não casem virgens devem ser apedrejadas, que não é permitido comer frutos do mar ou carne de porco, cortar a barba o cabelo…. mas é claro, os crentelhos só se lembram da passagem que cita a homossexualidade, não é mesmo?

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).