O governo da Hungria ordenou que uma editora escrevesse notas de advertência para identificar livros com “comportamento inconsistente com os papéis tradicionais de gênero”. O país é governado pela extrema direita que se comprometeu com uma agenda “anti LGBTQIA+”.

O governo justifica a ação dizendo que é necessário proteger os consumidores de serem enganados. O ato foi uma resposta ao grupo lésbico Labrisz, que publicou uma antalogia de conto de fadas, “Wonderland Is For Everyone”, que conta algumas histórias com a temática gay.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Hungria adverte conteúdo LGBTQIA+ em livro (Foto: Divulgação / Reuters)
Hungria adverte conteúdo LGBTQIA+ em livro (Foto: Divulgação / Reuters)

Os autores do livro afirmam que o objetivo da obra é pregar o respeito as diferenças e ensinar isso para crianças de forma didática. O livro narra a história de uma corça (animal local), que quer se tornar mach, além de um poema sobre um príncipe que se casa com outro príncipe.

“O livro é vendido como um conto de fadas, assim chamado na capa e nos desenhos, mas esconde o fato de que retrata um comportamento inconsistente com os papéis tradicionais de gênero”, defendeu o comunicado emitido pelo gabinete do governo húngaro e publicado pela Reuters.

VEJA TAMBÉM:  Livro reúne relatos de quem passou pela “cura gay”

O primeiro ministro da Hungria, Viktor Orban, tem adotado uma retórica e políticas de hostilidade em relação aos grupos LGBTQIA+.