A ação de uma mulher lésbica que lutava já há anos na justiça pelo direito de ter sua união com a esposa equiparada ao casamento heterossexual, com os mesmos direitos e benefícios, finalmente teve vitória na extrema Corte do país. Ela comemorou a notícia com amigos e publicou a seguinte foto no Instagram:

The team at Vidler and Co. raising a toast to the landmark Court of Final Appeal's decision in QT v Director of…

Publiée par Vidler & Co. Solicitors sur Mardi 3 juillet 2018

E a boa notícia não é só pra ela, mas o caso servirá de jurisprudência para todos os outros casais homoafetivos que queiram legalizar seus relacionamentos no país.

“A decisão da Corte afirma o que milhões de pessoas desta cidade vibrante querem que seja realidade: que a discriminação baseada em orientação sexual pare! Todo preconceito vai contra os valores de Hong Kong”, afirmou a lésbica autora da ação, identificada à reportagem como QT.

QT já batalha pela questão na justiça há muitos anos. Tudo começou quando, em 2011 ela se mudou do Reino Unido para Hong Kong por uma oferta de trabalho. Só que na Inglaterra ela tinha a união com a esposa reconhecida e em Hong Kong não teria, uma vez que o casamento homoafetivo não era reconhecido por lá.

Alguns dos benefícios que ela perderia, no caso, seriam a extensão do plano de saúde à esposa, direito de visto permanente da esposa no país, fora acesso a serviços públicos como hospitais, dentre outros.

QT teve sua primeira vitória do caso na justiça somente em setembro de 2017, quando o caso foi ganho mas o governo do país recorreu da decisão ao se ver obrigado a emitir o visto para a esposa dela.

O caso continuou na justiça e agora finalmente, a extrema Corte do país finalmente decidiu que casais homoafetivos devem sim ter os mesmos direitos que casais heterossexuais.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).