VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Após um mutirão nas redes sociais, campanhas, hashtags e desafios, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) publicou uma nota se posicionando sobre o caso de censura do clipe de “Parabéns” de Pabllo Vittar, que foi restrito para menores no YouTube.

Segundo o conselho, a drag queen “optou por não se defender”. A medida foi julgada em 5 de dezembro e, por unanimidade, ficou imposto que a produção deveria ser restrita para menores, já que conta com uma publicidade de bebida alcoólica.

Entretanto, a verdade é que clipes com patrocínio de bebida alcoólica tem aos montes entre artistas heterossexuais e o Conar sempre passou o pano. Veja aqui alguns exemplos.

Ao G1, a direção do Conar explicou que a institução “não tem alcance sobre conteúdo editorial ou artístico de qualquer manifestação, seja um texto ou clipe. Só tem alcance sobre manifestação de natureza publicitária O alcance é específico sobre a ação publicitária, que por acaso, está dentro de uma manifestação artística. No caso do Pabllo, é sobre uma inserção de marca visível“.

O G1 então questionou o órgão sobre por qual motivo vários clipes que mostram bebidas alcoólicas estão liberados no YouTube. O órgão conta que “talvez não tenha conhecimento de outros clipes” e disse que essa espécie de denúncia “não é comum, não é frequente. Mas tende a se tornar, pois a prática comercial está se alargando.”

Avatar
21 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.