O locutor Emerson Antunes, da rádio Panorama, da cidade de Itapejara D’Oeste, no Paraná, está sendo acusado de LGBTQfobia após se recusar a tocar Pabllo Vittar em seu programa.

Na ocasião, um ouvinte pediu para que ele tocasse músicas da drag queen. Em seguida, ele disse que não tocará mais músicas dela, pois descobriu “a forma que ele se apresentava, aí não rolou mais”.

“Pabllo Vittar? É isso mesmo? Pabllo Vittar não vai rolar, não hein. Vamos fazer o seguinte, troca aí por uma música boa, por um cantor bom, né? Nada contra o Pabllo Vittar, em hipótese nenhuma, mas sim contra as músicas que ele canta. Não vai rolar, essa eu vou passar”, falou o locutar.

Logo em seguida, ele complementa sua fala inferiorizando umas das maiores drags queen do mundo.

“Rapaz, tem gente que gosta da Pabllo Vittar ainda? Tem né, se tem gente pedindo é porque tem ainda, né? Eu acho que vou morrer e não vou ver tudo. Uma vez eu até toquei aqui o tal do Pabllo Vittar, mas aí eu comecei a prestar atenção, por que eu não conhecia, né? Depois que eu descobri a forma que ele se apresentava, aí não rolou mais. Pabllo Vittar não adianta pedir, porque eu não vou. Nada contra o cantor, em hipótese alguma, mas a questão é que aquela vozinha dele não fechou”, enfatizou ele.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Após a repercussão do ocorrido, várias pessoas relataram que a atitude de Emerson não passava de LGBTQfobia, principalmente pela forma como ele se referiu à Pabllo, no masculino e com desdém.

Confira o trecho do programa:

No início deste ano, o nosso cristalzinho do pop brasileiro sofreu o mesmo tipo de preconceito por um outro locutar da cidade de Barreiras, na Bahia. No entanto, Wendel Novaes pegou mais pesado e chegou a

“A gente não toca e ponto final, por**! Nós somos uma rádio independente e nós tocamos o que nós queremos. Nós esperamos que vocês tudinho vão se fo***, só isso. Vão tomar nos seus **, vão procurar o que fazer, seus mer***!”, disparou.