Um homem gay compartilhou uma lista das 10 coisas mais bizarras e ofensivas que as pessoas já disseram a ele e ao marido desde que se tornaram pais. Robin Morgan-Bentley compartilhou a lista no Twitter, destacando as atitudes discriminatórias que os pais LGBT+ costumam enfrentar no dia a dia.

“As 10 principais coisas que as pessoas disseram para mim e para meu marido este ano, como novos pais gays”, escreveu Morgan-Bentley. Alguns dos pontos são hilários, mostrando que as pessoas podem ser ignorantes sem querer ser ofensivas – mas outros são realmente chocantes.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Oh, hoje é dia de folga! Tão bonitinho. A mamãe está de folga?” é a coisa bizarra que Morgan-Bentley ouviu desde que se tornou pai. “A mãe ainda está envolvida? Deve ser muito difícil para ela”.

Mas a lista do homem gay também revela que as pessoas questionaram qual deles é o “pai verdadeiro”, enquanto outras as interrogaram sobre se elas se preocupam com o fato de o filho não estar sendo amamentado.

VEJA TAMBÉM:  “Não permitimos gays aqui!”, diz placa de loja pendurada por dono homofóbico

“Você acha que ele também será gay quando crescer?” e “E se a primeira palavra dele for mamãe?” outra pessoa perguntou a ele, uma outra pessoa heterossexual preocupada disse: “Posso ser a mamãe dele, se você quiser”.

Outras pessoas também aludiram ao fato de que seu filho nasceu em 2020 quando o COVID-19 começou a se espalhar rapidamente pelo mundo. Uma pessoa disse a eles: “Pense em todas as expressões faciais que ele está perdendo sob essas máscaras.”

Outros usuários do Twitter rapidamente compartilharam suas próprias com o homem gay histórias de terror de pessoas cis e heterossexuais fazendo shaming bizarros, ofensivos e às vezes hilárias com seus filhos.

Homem gay recebe apoio de outros pais LGBTs

O pai trans Freddy McConnell respondeu: “Solidariedade! Além disso, virtualmente todas as minhas amigas / parentes foram consideradas a mãe da minha filha mais de uma vez”. Outro pai gay respondeu: “Tivemos tudo isso e muito mais”.

VEJA TAMBÉM:  Travesti é encontrada morta com 13 perfurações no corpo em Uberlândia

Uma mulher acrescentou: “As pessoas são muito intrusivas na vida das pessoas LGBTQ. Tive um colega que me perguntou em um elevador no trabalho se eu queria filhos, quem os teria, como isso funcionaria. Tudo em um minuto de carona até a cantina”.