O jovem Guilherme Rafael Claret, que vive na cidade de Umuarama, no Paraná, usou suas redes sociais para desabafar sobre a dificuldade que é ser um homem hétero cis e decidir namorar com uma mulher trans na sociedade brasileira, que como se sabe, é conservadora e cheia de transfobia.

Ninguém deveria se importar com quem você ama ou deixa de amar, certo? Pois não é o que acontece muitas vezes em relacionamentos com pessoas trans, que muitas vezes fazem as pessoas colocarem em dúvida até a orientação sexual do parceiro cisgênero do relacionamento.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Com apenas 18 anos, Guilherme chegou a ser expulso de casa pela família após revelar que está namorando Victoria Moorish, uma mulher trans: “Não aceitaram. Só queria que me entendessem sem preconceito!”, desabafou Guilherme em um grupo do facebook.

VEJA TAMBÉM:  Youtubers LGBTQ+ dos EUA processam YouTube por discriminação
Guilherme: expulso de casa por namorar uma mulher trans. (Foto: Reprodução / Facebook)
Guilherme: expulso de casa por namorar uma mulher trans. (Foto: Reprodução / Facebook)

Mesmo assim, a transfobia felizmente não o fez desistir do amor. Ontem (21) os dois oficializaram a união. Após seu post de desabafo, a atualização do namoro do casal no Facebook de Guilherme atingiu mais de mil curtidas e mais de 300 comentários desejando felicidades aos dois.

No Facebook, o casal ganhou muitos elogios e mensagens de apoio. (Foto: Reprodução / Facebook)

A influenciadora Bryanna Nasck, que também é trans, falou sobre o assunto em seu Twitter: “Para o homem cisgênero amar uma mulher trans, ele não precisa apenas superar seus próprios preconceitos, mas também suportar uma pequena fração da transfobia que a mulher que ele ama vive todos os dias. É um choque completo para quem nunca teve sua vida em questionamento”.

Ela continua na thread onde debate a transfobia também sofrida por cisgêneros que se relacionam com pessoas trans: “O homem que ousa amar uma mulher trans, tem sua masculinidade, sexualidade e gênero colocados em cheque. Eles tem suas vidas viradas de cabeça para baixo apenas por que ousou amar uma mulher trans. Por isso é tão comum mulheres trans se sujeitarem a relacionamentos abusivos. Se envolver já é complexo, imagine dentro destas circunstâncias”.

VEJA TAMBÉM:  Caitlyn Jenner revela por que considerou suicídio durante transição de gênero

“É louco falar que merecemos respeito e dignidade. Mas enquanto houver pessoas que nos olhem como abominações. Eu irei repetir somos pessoas! Nossa identidade é uma fração de quem somos e isso nunca será um fator determinante em nada e nem em ninguém”, diz Bryanna em sua reflexão sobre o assunto.

Ela finaliza desabafando: “Já é foda encontrar alguém decente, agora imagina que aguente o impacto de sair com uma grande gostosa de peito e pau? Força para a gente!”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).