Em uma avaliação preliminar para entender melhor os desafios enfrentados pela comunidade queer do Canadá, uma ala do governo fez uma pesquisa com os canadenses e descobriu que uma quantidade esmagadora é, de fato, confortável com a população LGBT+.

A pesquisa perguntou aos cidadãos canadenses se eles ficariam confortáveis ​​se o vizinho, gerente ou médico fosse LGBT+, informou o Global News.

Cerca de 91,8% afirmou que estaria confortável se um vizinho fosse gay, lésbica ou bissexual, e 87,6% ficariam confortáveis ​​se esse o vizinho fosse trans.

“É realmente bom ver a atitude dos canadenses mudando e sendo mais abertos e inclusivos”, disse Helen Kennedy, diretora executiva do grupo de defesa de direitos da comunidade LGBTI+, Egale Canada. “Obviamente, temos mais trabalho a fazer. Mas é definitivamente um passo na direção certa. “

A pesquisa foi conduzida pelo Gabinete do Conselho Privado, o departamento que apoia o trabalho do Gabinete do Primeiro Ministro. Na pesquisa, realizada na semana de 26 de julho de 2019, seis perguntas avaliaram as atitudes do Canadá em relação ao povo queer. As perguntas foram:

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“O quanto você se sentiria confortável em cada uma das seguintes situações?”

1 – Se você tivesse um vizinho que fosse gay, lésbica ou bissexual;

2 – Se você tivesse um vizinho que é uma pessoa trans;

3 – Se você tivesse um gerente ou supervisor gay, lésbica ou bissexual;

4 – Se você tivesse um gerente ou supervisor que era transgênero;

5 – Se você tivesse um médico gay, lésbica ou bissexual;

6 – Se você tivesse um médico transgênero.

A pesquisa apontou que 90,5% dos canadenses estão “muito confortáveis” ou “um pouco confortáveis” com um chefe LGB, contra 7,6% que disseram que seriam “um pouco desconfortáveis” ou “muito desconfortáveis”.

Já 88,2% disseram que ficariam “confortáveis” contra 10,2% “desconfortáveis” com um médico LGB. Por outro lado, esse número cai em  relação a médicos trans – 79,9% “confortável” e 17,6% “desconfortável”.

“As questões separadas sobre identidade de gênero foram deliberadas, dadas as experiências de discriminação enfrentadas por muitas pessoas trans no Canadá”, disse a porta-voz do Gabinete do Conselho Privado, Stephane Shank.

Segundo ela, o governo do Canadá está determinado em entender melhor todos os desafios enfrentados pela população LGBTI+. “É por isso que o Ministro da Diversidade e Inclusão e Juventude (Bardish Chagger) recebeu o mandato de consultar representantes da sociedade civil das comunidades LGBTI+ para estabelecer as bases para um plano de ação que guiaria o trabalho do governo federal em questões importantes para os canadenses pertencentes a comunidade”.

As conclusões do estudo foram feitas após o Partido Liberal de Justin Trudeau garantir um segundo mandato para liderar o governo no início deste ano.

A administração de Trudeau tem várias iniciativas positivas para a comunidade, como aumento do financiamento para ajudar as organizações LGBTI+ a contratar mais funcionários, além de proibir a terapia de conversão.

Fonte: PinkNews