O coletivo Brasília Orgulho e outras organizações ativistas do Distrito Federal estão em pé de guerra contra o Governo do Distrito Federal, que divulgou que não incluirá qualquer pergunta sobre orientação sexual na Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) 2021, que será aplicada em 35 mil moradias nos próximos meses.

Vale lembrar que este seria um passo fundamental para se conhecer o perfil de quem são e onde estão os LGBTs do Estado, além de possibilitar que se fomente políticas públicas que ajudem esta população com mais exatidão. Mas sem novidades até aqui de que a população LGBT não seja considerada por este governo, né?

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A Pdad, feita pelo órgão chamado Codeplan, é o principal levantamento de informações realizado pelo Governo do Distrito Federal e inclui dados tais como tipo de moradia, etnia, gênero, idade, classe social e muitas características da população.

VEJA TAMBÉM:  Senador Contarato processa por homofobia promotor que tentou impedir paternidade de seu filho

O movimento ativista ao mesmo tempo que elogia o fato inédito de identidade de gênero ter sido adicionada ao questionário, o que dará base para saber quantas pessoas transexuais e travestis há na capital, critica a negativa do órgão de perguntar se os indivíduos pesquisados e quem mora com eles são homossexuais ou bissexuais.

Parada LGBT de Brasília no DF, onde governo proibiu questões sobre orientação sexual e identidade de gênero da populção. (Foto: Bruno Cavalcanti)
Parada LGBT de Brasília no DF, onde governo proibiu questões sobre orientação sexual e identidade de gênero da populção. (Foto: Bruno Cavalcanti)

Coletivos LGBT também lembraram que tirar a orientação sexual da Pdad é impedir elaboração de políticas públicas para o segmento em saúde, moradia, segurança pública e educação, por exemplo, nos próximos anos.

Haverá questionário adicional aplicado pela Codeplan e de preenchimento não obrigatório sobre a questão LGBT, mas que não é tão abrangente quanto a Pdad, também apontam ativistas.

Uma contradição foi apontada nas críticas: há pergunta sobre quantos cachorros e gatos há nas residências que serão pesquisadas, mas não haverá questionamento sobre a quantidade de homo e bissexuais.

VEJA TAMBÉM:  Promotor que foi contra dupla paternidade de senador Contarato é suspenso

Um dos documentos que estão sendo usados para pressionar a Codeplan a rever a decisão é projeto de lei do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) – que vale lembrar, é abertamente gay – que obriga o IBGE a ter questões sobre orientação sexual e identidade de gênero. Haverá também denúncias em órgãos de direitos humanos locais e nacionais.Governo do DF inclui cachorros mas proíbe LGBTs em pesquisa que traça perfil da população

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).