Enquanto conservadores dos Estados Unidos tentam barrar o “Drag Queen Story Hours“, evento onde drag queens leem histórias infantis para crianças, a Suécia mostra como se faz e vai começar a investir em artistas drags contadores de histórias.

O governo sueco anunciou que vai começar a investir dinheiro em drag queens que quiserem criar e realizar seus próprios eventos destinados a promover a leitura e alfabetização de crianças e jovens.

Só na semana passada, a Associação Cultural MUMS, em Estocolmo, recebeu o equivalente a 177 mil dólares para desenvolver “contos de fadas criativos” que serão realizados diante de um público infantil e infanto-juvenil por meio do projeto intitulado “Entre Dragões e Drag Queens“.

Além de criar novas histórias, o projeto desenvolverá um modelo com o intuito de deixar essa ‘hora de leitura’ mais acessível, com base nas necessidades e desejos do grupo-alvo, para que a experiência seja a melhor e mais acessível possível”, afirma o Fundo de Herança da Suécia, que forneceu a concessão, em um comunicado de imprensa. “[…] o projeto apresentará seus contos de fadas nas bibliotecas, mas também em outros lugares.

O projeto incluirá também oficinas destinadas a ensinar as crianças a criar e organizar seus próprios eventos de leitura.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O impacto positivo de ações como o projeto “Entre Dragões e Drag Queens” foi crucial para que esse investimento acontecesse. No início do ano, foi realizado um evento com crianças que haviam acabado de chegar à Suécia. Segundo um comunicado oficial e relatos de pessoas que estavam presentes, o evento foi “extremamente mágico, pois a maioria das crianças não sabia falar sueco. Porém, as cores, o glitter, as transformações de roupas e a alegria dos artistas drags contando as histórias contagiaram a todos e contribuíram para que as crianças pudessem acompanhar os contos“.