Foi notícia no Reino Unido o caso de uma garota lésbica sulafricana chamada Mubizana que revelou em um post na Internet que era estuprada por seu próprio pai e pelo seu tio quando adolescente. Eles afirmavam na época, fazer isto para “consertá-la” com a desculpa de que isso a tornaria heterossexual.

Mubizana, sulafricana abusada pelo pai e pelo tio homofóbicos.

“Eu tinha 15 anos quando meu pai entrou no quarto e abusou de mim pela primeira vez. Nunca pensei que um pai seria capaz disso com uma filha.

Ele me disse: ‘Minha filha, eu odeio sua conduta e vou te mostrar que você é mulher e não homem. Você é mulher então deve fazer isto com um homem’.

Eu sabia que ele era homofóbico e odiava que eu fosse lésbica. Após o ato ele sempre me ameaçava dizendo que se eu tentasse denunciá-lo, ele diria à polícia que eu é que o seduzia.


Assista também:


Eu era muito nova e tinha medo de me colocar contra ele. Ainda hoje estas imagens me vem a mente. Ele justificava suas ações usando frases religiosas como ‘Seu pai de ama e quer que você seja uma pessoa de Deus’, ‘Deus criou Adão e Eva’.

Houve um dia ainda em que meu tio veio em casa e os dois abusaram de mim. Eu me sentia tão fraca que nem chorar conseguia mais. Cheguei a tentar suicídio.

Me sentia impotente, inútil, queria morrer. Não foi fácil e não é. Tentei me matar várias vezes porque a dor era grande demais pra mim.

Meu vizinho chegou a me levar para a delegacia. Meus tios chegou a ser processado, mas meu pai não. E nenhum foi para a cadeia. Por que?”, confessou a garota que ainda luta para se livrar do trauma de adolescência causado pelo pai.

Mubizana ainda contou que toda vez que tem uma namorada, precisa explicar seu passado pois o sexo ainda é uma questão difícil para ela e que a remete a muitos traumas: “Me traz de volta péssimas memórias”, disse a garota.

A situação dela infelizmente não é isolada. A população LGBT no Sul da África como um todo ainda está em uma posição extremamente delicada e cercada de preconceito da sociedade. Em Fevereiro, por exemplo, uma igreja local foi acusada de matar um homem gay na pancada até a morte por considerá-lo pecador por suas atitudes sexuais.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).