Brittany Spencer virou notícia em seu estado, Wisconsin, nos Estados Unidos, após ser demitida por se recusar a atender dois homens idosos que estavam criticando abertamente um cliente transgênero.

Em entrevista á imprensa local, Brittany disse: “Eles começaram a me perguntar se eu achava nojento e errado e por que permitiríamos que alguém ‘assim’ entrasse no estabelecimento. Ao que respondi: ‘ Não, não concordo com o que estão dizendo´, e saí

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Desconfortável com os comentários, Brittany então perguntou a seu gerente se ele poderia colocar outra pessoa para atender os clientes transfóbicos, ao que seu chefe disse apenas: “ou você os serve, ou pode ir pra casa“. Ela então optou por ir pra casa.

A garçonete chegou a compartilhar o acontecido em suas redes sociais e no dia seguinte, ao chegar para mais um de trabalho, descobriu que havia sido demitida.

VEJA TAMBÉM:  Policiais LGBTs brasileiros criam rede de apoio no Instagram

A postagem sobre o incidente e a demissão chegou a viralizar entre os moradores da cidade onde Brittany trabalha e o co-proprietário do restaurante, Tad Wallender, disse ao The FDL Reporter que teve que fechar a página de Facebook do restaurante e recebeu telefonemas e e-mails ameaçadores.

A garçonete pretende contestar sua demissão enviando um relatório à Comissão Federal de Igualdade de Oportunidades de Emprego.

Mesmo perdendo o emprego, Brittany afirma que não se arrepende de ter se posicionado contra os clientes transfóbicos: “[Acho que] se alguém vê ódio ou ouve coisas assim, deveria dizer algo, porque… ignorar coisas assim é como se você estivesse concordando com o que é dito“, disse ela.