A irmã Hérika Chaves, de 24 anos, nasceu no pequeno município de Ananindeua, do Pará, mas hoje vive em São Paulo e sua participação dentro da igreja Católica está em acolher pessoas LGBTQI+. De acordo com o Uol, Hérika e seu irmão, que é gay e dois anos mais novo, começaram a frequentar a igreja desde os seus 11 anos junto da avó.

Freira Hérika Chaves em Boleia Bar
Freira Hérika Chaves em Boleia Bar. (Foto: Arquivo Pessoal)

Em seu primeiro ano de atuação na igreja católica, Hérika foi transferida para a cidade de Maracaju, no Mato Grosso do Sul. “Fui transferida em 2017 e, na verdade, eu sempre soube que meu irmão era gay, mas comecei a perceber no Facebook comentários de meninos sobre como ele era bonito. Resolvi conversar com a minha mãe, com quem ele morava”, disse a freira.

A mãe contou que o irmão negava sobre sua sexualidade. “Mãe, ele é gay e deve ter vergonha porque eu sou freira. Diga a ele que eu o amo acima de tudo, ele é meu irmão, e apoie ele”, disse Hérika à mãe. Com um pouco de esforço, o irmão finalmente saiu do armário, com muito respeito e acolhimento.

Freira Hérika Chaves junto a quipe do Boleia Bar
Freira Hérika Chaves junto a quipe do Boleia Bar. (Foto: Arquivo pessoal)

A freira, então, foi se aproximando mais da comunidade, ajudando pessoas próximas, como por exemplo, uma garota com a qual trabalhou em seu primeiro ano como freira. “Eu trabalhava com jovens, e havia uma garota que me pediu ajuda porque ainda não havia se assumido para a família. Ela dizia que eles eram muito fechados e sentia medo…”, conta.

Depois de muita aproximação da comunidade LGBTQI+, ela até chegou a visitar o Boleia Bar, durante uma visita ao Rio, ela contou que algumas pessoas a estranharam por causa da roupa, mas quando viram que se tratava de uma freira real, foram conversar. “Eu recorro à palavra de Deus e à passagem ‘Amai ao próximo como a si mesmo’. É preciso lembrar: Deus é amor. Quero ser esse rosto amoroso de Deus. A acolhida e as portas da igreja devem ser abertas a todos, e não a alguns selecionados” declarou.