Mais um caso de homofobia no país que mais mata LGBTs. A jovem Iasmym Souza, 20, e sua companheira, Juliana Monteiro, 24, se tornaram parte das estatísticas no último sábado (16), em Angra dos Reis. As jovens, que eram vizinhas do seu agressor, teriam discutido com o mesmo após esse dar em cima de uma das moças.

O acusado, um homem de 44 anos, utilizou-se de uma faca de sua própria casa para realizar o duplo homicídio. Ele teria esfaqueado Iasmym primeiro, com quem havia discutido anteriormente e depois Juliana, que acabou morrendo enquanto tentava defender a namorada. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal da cidade.

Enquanto tentava fugir para Barra Mansa, o autor do crime foi encontrado por policiais militares em patrulha no fim da manhã do sábado (16). O mesmo foi encaminhado à delegacia de Angra dos Reis, e autuado pelo duplo homicídio; na ocasião, também foi constatado que o mesmo possuía um mandado de prisão em aberto, por homicídio de uma outra mulher em Minas Gerais.

Diante de tamanha tragédia, a família de Iasmym Souza, iniciou uma campanha online onde pede ajuda para realizar o translado do corpo da jovem para Santa Catarina, onde a família reside. Uma vaquinha foi criada para ajudar a arrecadar fundos e fazer o transporte do corpo. Aos interessados, podem ajudar clicando AQUI!