O exorcista Tineenullah Fahad, 35 anos, afirma que cura pessoas de bruxaria, possessão demoníaca e homossexualidade, e para isso usa força física nos pacientes que procuram, sua clínica de exorcismo, que fica em cima de uma loja de um dólar em Islamabad, Paquistão.

“60 por cento dos casos de homossexuais que chegam a mim são resultados de magia negra e possessão demoníaca”, disse Fahad ao site da VICE World News. Ele afirma ter “tratado” cerca de 500 casos de homossexualidade recitando versos do Alcorão, o livro mais sagrado do Islã.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Para o exorcista, a homossexualidade é um fenômeno não natural que se manifesta sob influências demoníacas: “Quando Satanás foi banido do darbaar (tribunal) de Alá, ele jurou se vingar da humanidade, fazendo-a rejeitar os mandamentos de Deus para que caíssem em tais atividades não naturais”, Fahad explica.

VEJA TAMBÉM:  Dan Reynolds do Imagine Dragons faz discurso emocionante contra “cura-gay”

Exorcista paquistanês não é médico

Fahad tem conduzido terapia de conversão baseada na fé como um Raqi ou curador espiritual desde 2012 e não tem título de médico. A terapia de conversão se refere a tratamentos que tentam mudar a orientação sexual ou identidade de gênero de uma pessoa, prática condenada pela OMS e banida na maioria dos países desenvolvidos.

“Um dos piores casos da minha vida envolveu um Hafiz-e-Quran (uma pessoa que memorizou o Alcorão). Por quatro horas – até as duas da madrugada, eu estava em cima dele batendo nele e ele não tinha cicatrizes em seu corpo”, conta o exorcista orgulhoso de seu “trabalho”.

Não há dados centralizados sobre a frequência, escopo e ocorrência da terapia de conversão no Paquistão. No entanto, a discriminação sistêmica contra a comunidade LGBT+ é generalizada e se origina de atitudes sociais sobre a homossexualidade como um comportamento pecaminoso ou desviante.

VEJA TAMBÉM:  400 LGBTs serão torturados através de "cura gay" em Gana, na África Ocidental

O Paquistão criminaliza a homossexualidade de acordo com a Seção 377 do Código Penal Indiano, imposto pelos colonizadores britânicos em 1860. Não existe nenhum regulamento formal de cura espiritual no Paquistão, no Sul da Ásia, nos EUA ou no Reino Unido. De acordo com o imã franco-argelino abertamente gay Ludovic Mohamed Zahed, o Alcorão não condena explicitamente a homossexualidade ou as identidades LGBT+.

Junaid Ehtisham, (nome fictício), 31 anos, relata: “Eles tinham um questionário e uma das perguntas feitas era se eu queria ter relações sexuais com o mesmo sexo. Tive vontade de fazer isso ”, disse Ehtisham. “Eu tinha problemas com o casamento e não conseguia me sentir sexualmente atraído por mulheres”. Desde que recebeu a terapia de conversão de Fahad, Ehtisham diz que os tratamentos estão funcionando lenta e gradualmente.

Em 2007, a American Psychological Association conduziu uma revisão de pesquisa sobre a eficácia dos esforços de mudança da orientação sexual e concluiu que a terapia de conversão provavelmente nunca terá sucesso. A organização também destaca uma ligação entre a terapia de conversão e um risco de dano associado.

VEJA TAMBÉM:  Paquistão inaugura primeira escola transgênero islâmica em Islamabad

O psicólogo clínico de Islamabad, Salmaan Tahir, encontrou vários pacientes que sofreram traumas devastadores como consequência da terapia de conversão. “Há casos em que pessoas sob terapia de conversão receberam espancamentos, punições corporais e também foram hospitalizadas”, disse Tahir. “As histórias são absolutamente chocantes. Encontramos um cliente onde o praticante o amarrou e jogou lixo nele”.