O ex-soldado James Wharton se abriu sobre como o príncipe Harry o protegeu de abusos homofóbicos no exército. James disse ao Forces News que o príncipe Harry era seu comandante de tanques em 2008, quando sofreu homofobia de outros soldados.

“Eu me meti numa situação com alguns soldados de outro regimento e, essencialmente, eles não gostaram do fato de eu ser gay”, disse Wharton. “Eles estavam meio que me cutucando e me fazendo sentir bastante desconfortável. Entrei no meu tanque onde o príncipe Harry estava fazendo alguma coisa, e ele podia ver que eu estava claramente afetado por alguma coisa e ele me perguntou qual era o problema”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O ex-soldado continuou: “Eu disse a ele que havia dois soldados do lado de fora que não estavam muito felizes com o fato de eu ser gay”.

Wharton então revelou que o duque de Sussex ficou “bastante ofendido” com o preconceito dos colegas do exército.

VEJA TAMBÉM:  Trump defende a exclusão de pessoas trans do exército americano

“O príncipe Harry saiu e viu esses soldados e falou com eles, e o problema desapareceu. Ele os dispensou e eles me deixaram em paz”, disse.

Em outra parte da entrevista, James elogiou o príncipe como um “bom” oficial que era “bem quisto”.

Esta não é a primeira vez que Wharton se abre sobre o apoio do príncipe Harry enquanto eles serviam juntos nas forças armadas. Em 2013, seu livro “Out in the Army” mergulhou em suas experiências como homem gay no exército britânico.

Na época, James Wharton escreveu que um grupo de soldados de outro regimento ameaçava “espancá-lo”.

“Eu disse a ele [ao príncipe]: ‘Acho que vou ser assassinado pela infantaria.’ Subi na torre e conversei com Harry sobre exatamente o que havia acontecido. Ele tinha um olhar perplexo no rosto’ 

“Eu não conseguia impedir que as lágrimas brotassem nos meus olhos. Ele disse: “Certo, vou resolver isso de uma vez por todas”. 

VEJA TAMBÉM:  15 motivos porque Harry e Meghan são o casal mais pró-LGBT da história da realeza

Wharton se tornou o primeiro homem abertamente gay a aparecer na capa da revista Soldier em 2009. O ex-soldado gay foi criticado em 2014 quando escreveu um artigo para a revista Winq argumentando que as saunas gays eram “espinhos do nosso lado que marcam nossa comunidade como diferente pelas razões erradas”. Mais tarde, ele voltou atrás em seus pontos de vista.

Enquanto isso, o príncipe Harry ganhou as manchetes esta semana depois que ele e sua esposa Meghan Markle anunciaram que deixarão o cargo de membros seniores da família real.

O casal anunciou que vai dividir seu tempo entre o Reino Unido e os EUA daqui para frente.


Matéria traduzida do site Pink News. Confira o texto original aqui.