Nesta semana, a justiça do Canadá reabriu a investigação de uma denúncia de um ex-funcionário que afirma ter sido discriminado por ser heterossexual, em um grande banco que trabalhou. Com a abertura do inquérito, o caso será investigado pela Comissão Canadense de Direitos Humanos.

Na denúncia, Aaren Jagadeesh, que trabalhava no Canadian Imperial Bank of Commerce, em Toronto, afirma que seu antigo chefe recomendou que ele “não tivesse esperanças” de ser promovido, pois o bancário não fazia parte do “grupo de gays e bissexuais” da empresa.

Ele ainda acusa seu ex- gerente de promover outros funcionários, com menos tempo de empresa, devido à orientação sexual.  Agora, com reabertura do processo que estava arquivado desde setembro, a justiça quer apurar se as declarações são verídicas ou falsas, já que, na época da denúncia, o caso não havia sido levado a sério pelas autoridades canadenses, que consideraram uma situação de oportunismo.