Já dizia o ditado: o tempo é o senhor da razão. Caitlyn Jenner, a mulher transgênero mais famosa do mundo, foi muito criticada pelo movimento LGBT quando fez campanha pela eleição do presidente americano Donald Trump.

Na época, ela dizia que ele não era tão maldoso, conservador e contra os direitos LGBTs quanto a mídia pregava, e que acreditava muito nele. Não só Caitlyn mas uma pequena parcela dos LGBTs chegou então a criar o movimento “LGBTs for Trump” em apoio ao então presidenciável, o que resultou na foto inesquecível e ridícula abaixo:

Pois bem. Pouco mais de dois anos após a eleição de Trump, alguns direitos da população trans, conquistados a duras penas na Era Obama, já foram limados pelo governo republicano eleito com a ajuda de Caitlyn.

Alguns exemplos? O veto a lei que garantia acesso aos banheiros de acordo com a identidade de gênero nas escolas americanas, a proibição do Censo do país de perguntar questões de identidade de gênero e orientação sexual (afim de se conhecer melhor as pessoas e possibilitar a criação de políticas públicas que ajudem parcelas específicas da população), e claro, a tentativa frustrada de Trump de demitir todos os militares transgêneros das forças armadas americanas, algo que a própria Justiça o proibiu de fazer por julgar uma ação sem justificativa, preconceituosa e absolutamente desnecessária.

Pois bem. A mais recente tentativa de prejudicar a comunidade LGBT proposta por Trump foi um documento que garantiria que em todo funcionalismo público americano, se considere como gênero de uma pessoa, apenas o sexo biológico. Ou seja, pela medida, homens e mulheres transexuais podem não ter mais a sua própria identidade respeitada pelas pessoas, e pior, com um aval do governo pra isso, em uma medida desnecessária, desrespeitosa, desumana e discriminatória.

Agora, Caitlyn Jenner chora no Twitter em uma mensagem endereçada ao perfil de Donald Trump, que adivinhe: agora caga pra existência de Caitlyn. Quem diria, não é mesmo?

Ontem (22) ela postou a imagem abaixo com a seguinte frase repetida diversas vezes linkando o perfil oficial de Trump: “Trans people won’t be erased”, ou seja “Pessoas trans não serão invisibilizadas”.

Entre os seguidores há mensagens de gente dizendo que “avisou”, perguntando onde está a Caitlyn que tanto apoiava Trump e garantia que ele não mexeria em direitos LGBT adquiridos, dentre outras mensagens ironizando seu arrependimento.

Triste realidade… Tarde demais agora, né Caitlyn? A gente bem que tentou te avisar…

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).