Mais de 50 mil dólares foram arrecadados para um locutor de rádio Justin Morissette, que vive em Vancouver, no Canadá, e simplesmente teve sua perna quebrada depois de ir questionar um casal de religiosos pregadores que faziam falas homofóbicas na rua com megafones.

Em um tweet, ele contou a tragédia: “Enfrentei os valentões evangélicos homofóbicos no West End esta noite. Eles quebraram minha perna propositalmente por isso. Nem sei porque fiz isso. Me parecia a coisa certa a fazer e ninguém ali fazia nada. Agora vou ter placas de metal na minha perna pelo resto da minha vida. ”

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Sobre a lesão, ele acrescentou: “Minha perna está super f*dida e isso é uma merda. Mas o homem violento que fez isso comigo teria feito isso ou pior com outra pessoa, isso se ele não tivesse sido preso esta noite.”

VEJA TAMBÉM:  Sem a menor necessidade, Bolsonaro ataca famílias LGBTs em novo discurso; assista

O ataque aconteceu nas ruas Davie e Thurlow na cidade, que abriga uma região de Vancouver que costuma ser super LGBT-friendly. Os pregadores usavam um megafone para gritar “pregações homofóbicas”, segundo o relatório da polícia.

Justin estava passando na rua, ouviu aquilo, ficou indignado e foi confrontá-los, tentando fazer com que parassem ou ao menos diminuíssem o volume de seus megafones. Ao ser ignorado, ele tentou desligar o som antes tomar um dos megafones que o casal segurava.

Neste momento o rapaz do casal pulou em suas costas: “Ele colocou a perna direita atrás da minha perna esquerda, torceu meu corpo contra sua perna até minha perna quebrar. Ele quebrou minha perna de propósito, me jogou no chão e pegou seu megafone de volta.”

John terá que usar pregos na perna por toda a vida.

Os dois pregadores foram presos e a polícia está recomendando que eles sejam acusados ​​de agressão com agravantes de crime de ódio. A delegacia de crimes de ódio da cidade também está investigando o crime.

VEJA TAMBÉM:  Homofóbicos pedem boicote a Disney por mães lésbicas em Toy Story 4

Após a prisão preventiva e pagamento de fiança, ambos foram libertados e avisados para ficarem longe da área e não terem qualquer contato com Justin.

Dorre Love, um dos agressores, recorreu as suas próprias redes sociais após ser solto pra se defender, alegando que foi “preso por pregar o evangelho” e afirmar que as acusações de agressão dele contra Justin deveriam arquivadas pela justiça.

Defensor da diversidade foi inundado de apoio.

Justin felizmente foi rodeado de apoio desde o ataque em suas redes sociais. Uma página GoFundMe foi criada para cobrir seus custos médicos, bem como perda de renda, honorários advocatícios, aluguel e custo de vida.

Até agora mais de 50 mil dólares foram doados. Justin disse que os fundos excedentes serão doados para Qmunity, uma organização sem fins lucrativos em Vancouver que “trabalha para melhorar a vida de pessoas LGBTQ+ em vulnerabilidade.

VEJA TAMBÉM:  Travesti é espancada por segurança do Pão de Açúcar
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).