Lady Gaga falou de seu amor pela comunidade LGBT em uma conferência no Toronto Film Festival, onde acontecia uma exibição do novo filme protagonizado por ela, “A Star Is Born”, que já vem sendo aclamado pela crítica especializada com especulações até de que deve concorrer ao Oscar.

“As vezes brinco que, em todo ícone forte feminino há um gay”, disse ela em uma referência a força necessária para se impor no mundo como mulher e/ou LGBT e todo preconceito sofrido por ambos, tendo sempre que se provar a todos, tendo sua sexualidade reprimida, enfim, tudo que de fato cria esse laço lindo de empatia e reconhecimento entre gays e as mulheres. Ela continuou sua verdadeira declaração:

”Eu realmente não estaria aqui sem a comunidade LGBT e tudo que eles me ensinaram sobre amor, aceitação e coragem.”

A cantora e atriz também pediu mais compaixão das pessoas pelas estrelas que lutam pra se livrar de vícios, como em um dos casos que veio a tona recentemente com a cantora Demi Lovato:

“É importante intervirmos e ajudarmos, incentivarmos estas pessoas em sua luta. A fama é algo antinatural. É importante nos cuidarmos e estarmos atentos a medida que ela aumenta e nos cuidarmos mentalmente.”

“A Star Is Born” é um filme que conta a vida do músico Jackson Maine (Andy Cooper) ao descobrir a artista Ally Rose (Lady Gaga).

O The Telegraph descreveu Gaga e Cooper como “deslumbrantes” no filme, enquanto The Guardian escreveu: “As músicas são lindas e a abertura ingênua e suas cenas com Jackson são maravilhosamente simpáticas”.

Assista ao primeiro trailer oficial de “A Star Is Born” abaixo:

É o primeiro papel de Gaga nos cinemas. Em séries de TV ela já arrasou ao interpretar a condessa da temporada Hotel de American Horror Story, que lhe rendeu um globo de ouro.

“A Star Is Born” estreia nos cinemas dia 5 de outubro.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).