A Universidade de Monmouth, nos Estados Unidos, iniciou uma investigação depois que alunos ergueram cartazes homofóbicos, juntamente com imagens de perfis de aplicativos de relacionamento durante um jogo de basquete.

O incidente ocorreu durante uma partida de basquete entre a Universidade Monmouth, em Nova Jersey, e o Siena College. Quando os jogadores retornaram à quadra no segundo tempo, vários alunos da Universidade de Monmouth seguraram imagens impressas do perfil do Tinder de um dos jogadores do time adversário, informa o USA Today. Outro homem exibia uma placa maior que dizia: “Fique no Grindr”. Não está claro se o jogador que estava sendo alvo da provocação é realmente gay ou bissexual.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O incidente levou a uma intensa reação nas mídias sociais, onde as pessoas exigiram que a Universidade agisse contra os agressores homofóbicos.

O presidente da Universidade Monmouth, Patrick Leahy, compartilhou uma declaração no Twitter em 8 de março, prometendo que eles investigariam essa história.

“Nesta manhã, tomei conhecimento de ações altamente ofensivas de vários membros do corpo discente dirigidas a jogadores do time adversário durante o jogo de basquete masculino da noite passada”, escreveu ele. “Tenha certeza de que estamos trabalhando rapidamente para reunir detalhes adicionais e abordar diretamente o comportamento com os envolvidos.”

VEJA TAMBÉM:  Após denúncia, professor LGBTfóbico é demitido da Uninove

Ele continuou: “Valorizamos cada membro da comunidade do campus. Comunidades fortes e inclusivas são construídas sobre um vínculo de confiança. Quando esse vínculo é quebrado, levamos isso muito a sério. Discriminação de qualquer tipo não será tolerada neste campus. ”

Ele prometeu garantir que a universidade seja um ambiente seguro para todos e disse que atualizaria os alunos sobre o andamento da investigação.

Várias pessoas  twittaram diretamente à universidade para expressar sua oposição feroz ao ataque:

Matéria traduzida do site Pink News. Leia o texto original aqui.

VEJA TAMBÉM:  Militar da Aeronáutica mata mulher e ex-vizinho gay por ciúmes