Um estudante que vive na Uganda foi agredido e queimado até que escrevesse uma confissão de que havia feito sexo gay, o que foi usado para justificar sua expulsão da escola.

O adolescente de 14 anos estudava no St Mary’s College Kisub na região central de Uganda quando foi atacado por outros estudantes cerca de 4 anos mais velhos que ele em junho.

“Depois de me baterem, me forçaram a escrever esta mensagem.”, afirmou ele à reportagem do jornal The Observer.

Depois de escrever a carta onde confessava o que mandaram ele escrever, ele foi resgatado para um local seguro para dormir, mas quando voltou à escola no dia seguinte, todos seus pertences haviam sido vandalizados e deixados do lado de fora do portão da instituição.

Quando foi perguntar à direção da escola, pediram para que ele deixasse o lugar usando como justificativa para sua expulsão as 3 cartas assinadas por ele entregues por três estudantes.

Após uma análise médica, foi constatado marcas de tortura no corpo do estudante, como queimaduras e hematomas da agressão na região do peito e pernas principalmente, e na lateral esquerda da face.

Quando os pais do garoto foram à escola buscar satisfações, o diretor afirmou que a decisão foi tomada em conjunto. Seus pais foram à polícia registrar queixa e agora processam a escola na justiça.

De acordo com a reportagem original do portal Pink News, não ficou claro sequer se o estudante confessou de fato o sexo gay realizado ou foi obrigado a confessar o que nem fez pela tortura sofrida e maldade dos outros estudantes. Não que, de alguma maneira, se justifique o que aconteceu com ele, é claro.

A Uganda é um dos 193 países onde ainda é crime ser homossexual. Conheça a lista completa aqui.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).