A Espanha vai abrir seu primeiro asilo inteiramente dedicado a pessoas LGBT da terceira idade. Gente, imagina se não vai tocar Cher e Aretha Franklin, nesse lugar? Me mandem pra lá daqui alguns anos, ok?

A cidade de Madrid, capital do país, é onde estará a primeira residência pública para homossexuais do mundo. Já existem iniciativas do tipo em Londres, por exemplo, mas não é um local público do Estado, mas sim ONGs financiadas com doações.

O ativista LGBT Federico Armenteros, que desde 2010 trabalha na “Fundación 26 de Diciembre: Mayores LGTB”, contou à imprensa que era preciso fazer algo para que esta parcela da população também pudesse ter uma vida mais digna.

O local deve abrigar 66 pessoas e ter um centro de atividades e profissionais de enfermagem e saúde devidamente especializados.

A iniciativa se deu pela rejeição que estes idosos sofrem em asilos tradicionais. Embora a entrada destas pessoas até seja permitida, elas não se sentem a vontade ou acolhidas, sofrendo preconceito muitas vezes, principalmente por fazerem parte de uma geração menos tolerante à diversidade.

(continua abaixo)


Veja também:


Além disso, segundo Federico, muitos idosos gays têm graves problemas de saúde mental porque “nunca foram compreendidos” e até hoje “são considerados doentes”. “É preciso fazer com eles um trabalho enorme”, explicou.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).