A escrivã do Condado de Rowan, em Kentucky, nos Estados Unidos, Kim Davis, terá que desembolsar a quantia de R$ 225 mil dólares, ou quase 1 milhão de reais, em multas por se recusar a registrar uniões gays no cartório onde trabalhava.

Desde 2015 ela não registrava uniões homoafetivas, afirmando que isso poderia ser de acordo com a nova lei dos homens, mas que ia contra as leis de Deus (vulgo, o Deus que ela acredita), que segundo ela, deve prevalecer.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Por ser funcionária pública, em um posto para o qual tinha sido eleita, Kim Davis chegou a ser condenada a cinco dias prisão por desrespeitar lei federal. 

O processo tramitou na justiça até recentemente quando ficou decidido que o Estado de Kentucky deveria arcar com U$ 225 mil dólares de multa, ao que o Estado recorreu alegando inocência e responsabilidade da escrivã que agiu por conta própria e sem o aval de terceiros ou do próprio Estado.

VEJA TAMBÉM:  Número de casamentos LGBTs cresce principalmente em Santa Catarina

Tendo perdido o processo em todas as instâncias, ficou então estabelecido pela justiça que ela deve arcar com a multa. 

Seus defensores, cristãos fundamentalistas que fizeram campanha por sua liberdade e suposta inocência, agora estão realizando campanhas para levantar fundos para ajudá-la a pagar o montante devido.

Fica a dica aqui: Quer expressar suas crenças PESSOAIS religiosas? Tem todo o direito. Mas vai ser pastor, e não trabalhar com Estado ou com a Justiça, que devem ser laicos e garantir igualdade de direitos a todos!

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).