Uma escola na cidade de Achille no Estado de Oklahoma, nos Estados Unidos, acabou tendo que ser fechada depois que pais de alunos ameaçaram castrar e dar uma surra em uma garota transgênero que estudava lá com seus filhos. Isso simplesmente por ela usar o banheiro feminino da instituição de ensino.

Prints de mensagens horríveis enviadas dos pais transfóbicos conversando sobre a garota chamada Maddie, de 12 anos, foram postadas em um grupo fechado de pais de alunos do colégio no Facebook.

Depois que Maddie usou o banheiro no primeiro dia do sétimo ano, as mensagens do grupo do Facebook começaram a ser trocadas com frases como: “A transgênero já está usando o banheiro feminino de novo!” e “Chega! Já deu!”.

Se provocou então uma onda de ódio contra Maddie, que se identifica como menina desde a 5ª série. Foi quando Eddie Belcher escreveu: “Se ele quer ser uma mulher, faça dele uma mulher. Uma faca afiada fará o trabalho muito rápido!”

Outro membro do grupo, Kevin Lee Bickerstaff, disse: “Basta dizer para as crianças chutá-la no banheiro e ela não vai mais querer voltar!”. Em tempo: a evasão escolar entre pessoas trans é altíssima por episódios do tipo, restando a muitas desta maneira nenhuma alternativa de formação e colocação profissional senão a marginalidade e prostituição. E tem quem chame a questão de mimimi…


Assista também:


Depois que o caso de abuso foi revelado com o vazamento dos prints, a mãe de Maddie, Brandy entrou na polícia com um pedido de restrição contra Burney Crenshaw, o marido de Jamie, que ela identificou como líder do movimento de pais contra a garota.

Quando o abuso começou – incluindo o comentário de castração – Brandy ficou com tanto medo da segurança de seus filhos que eles não dormem mais em casa à noite: “Isso é uma ameaça contra a vida dela – isso é assustador. Estes são adultos fazendo ameaças – eu não entendo isso”, afirmou à reportaagem do KXII-TV.

Brandy acrescentou: “Ela é uma criança incrível. Vê-la com tanto medo, não posso explicar o quanto isso me machuca”.

Procurado, o superintendente de educação, Rick Beene, mandou fechar a escola temporariamente até que se coloquem medidas extras pra ajudar a proteger os alunos. A instituição ficou sem funcionar do dia 10 ao dia 15 de Agosto.

“As Escolas Públicas de Achille e a administração acreditam que todos devem receber uma educação segura e gratuita”, disse ele.

Já a polícia disse que a mãe entrou com uma ordem de proteção contra um dos pais, mas nenhuma outra detenção foi feita. No entanto, várias agências, incluindo o FBI, estão intervindo na investigação para ver se algum dos comentários constitui um crime de ódio e pode gerar processo e detenção dos pais responsáveis. Resta alguma dúvida?

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).