Um colégio adventista de Belém, no Pará, aplicou uma prova de Língua Portuguesa para estudantes do 9º ano do ensino fundamental com conteúdo homofóbico. As questões faziam os alunos responderem “Como evitar o homossexualismo” [sic] e “O homossexualismo tem perdão?”.

A prova foi exposta nas redes sociais, gerando revolta nas pessoas. Pouco tempo depois, o termo “Colégio Adventista” estava entre um dos mais comentados no Twitter.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ao BuzzFeed News, a escola confirmou o caso, mas não explicou o que o tema tem a ver com gramática. A prova, que poderia ser levada para casa, foi entregue aos alunos que consultariam o livro “De Bem Com Você”, de Sueli Nunes Ferreira e Marcos Benedicto.

Na obra, os autores dizem que o termo “homossexualidade” deve ser ignorado, uma vez que ele é considerado menos discriminatório por não colocar a orientação sexual como uma doença. Para eles, se trata de um “desvio de comportamento”.

Benedicto e Ferreira ainda afirmam que “o homossexualismo é aprendido: a pessoa decide se tornar homossexual na infância”.

O responsável pela divulgação das questões, Herisson Lopes, contou que ficou assustado quando ouviu sua irmã, que é aluna da escola, discutir as respostas com um colega.

“Estava no quarto, fui até a cozinha e vi ela discutindo sobre as questões com um colega de sala, falando sobre a gravidade das perguntas. Quando li, fiquei assustado”, disse ele, ao BuzzFeed News, por telefone.

Em nota, o Colégio Adventista do Correios informou que “as questões contidas no questionário tinham como objetivo colher as diversas opiniões e sentimentos sobre a temática em estudo e davam a cada estudante a oportunidade de expressar livremente sua opinião. Um livro serviu como auxílio na tarefa, o que ocorre em várias disciplinas” e que “acima de tudo, respeita todos os indivíduos sem qualquer tipo de discriminação sexual, racial, religiosa, ou de outra natureza”.