O professor da Flórida foi demitido de seu emprego em uma escola cristã depois de falar publicamente sobre suas experiências como cuidador de acolhimento gay e ter adotado um filhoo.

Steven Arauz, professor do ensino fundamental do Forest Lake Education Center em Orlando, subúrbio de Longwood, deu uma entrevista em junho para a revista online Gays With Kids, na qual ele falou sobre se tornar um tutor adotivo e ajudar crianças carentes.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Frank Runnels, o superintendente da escola cristã particular Adventista do Sétimo Dia, havia enviado um e-mail a Arauz sobre a entrevista, contestando a descrição dele como um “pai gay”. O e-mail o advertia: “Essa conduta, se verdadeira, não condiz com os padrões da Igreja Adventista do Sétimo Dia e com o programa de educação da FLEC.”

Escola cristã demitiu professor por violar valores da igreja

Arauz, que cresceu na igreja e ensinou em escolas adventistas em toda a Flórida por oito anos, foi finalmente demitido de seu emprego por alegada violação de regras de conduta que exigiam que o corpo docente “vivesse de acordo com os ensinamentos da Igreja Adventista do Sétimo Dia ”.

VEJA TAMBÉM:  Executivo gay da área de diversidade da Netflix se demite após reportagem do NY Times

A professora disse ao Orlando Sentinel que colegas de trabalho da escola, que recebe verbas estaduais e federais para a educação, sabiam que ele era gay muito antes da publicação da entrevista. Ele apareceu em vários meios de comunicação promovendo anteriormente o acolhimento e a adoção, mas nunca havia mencionado sua sexualidade em público.

escola cristã
Steven Arauz tinha falado em muitas entrevistas na mídia sobre como se tornar um pai adotivo e se tornar o pai adotivo em 2016 para um menino de dez anos. (WFTV)

Ele disse: “A ironia é que, como cristãos, gostamos de dizer: ‘Todo mundo pertence. Venha como você está e siga Jesus, mas então se eles encontrarem algo com o qual não concordam, você é expulso”.

Arauz explicou anteriormente que suas crenças religiosas o levaram a se tornar um pai adotivo, tendo inúmeros filhos ao longo dos anos, e se tornando o pai adotivo em 2016 para um menino de 10 anos.

David Dodge, editor executivo do Gays With Kids, disse ao Sentinel: “É extremamente perturbador que o empregador e diretor de uma escola cristã tenha usado um artigo em nosso site, que escrevemos para celebrar suas contribuições altruístas para sua comunidade como pai adotivo, como evidência em sua decisão de rescindir seu contrato de trabalho”.

VEJA TAMBÉM:  Homofobia: Jornalista da Globo denuncia agressão sofrida pelo irmão

Joe Saunders, da Equality Florida, acrescentou: “Nossa posição é que se você for uma escola particular na Flórida, não deve estar discriminando o corpo docente ou a equipe LGBTQ e não deve negar bens da escola a alunos LGBTQ.

“Mas, especialmente se você for uma escola financiada por vouchers que está recebendo dólares da educação pública, você tem a obrigação de garantir que esteja aberta para todos.”

De acordo com o jornal, o professor agora conseguiu um novo emprego trabalhando para uma instituição de caridade que fornece roupas para jovens carentes, enquanto seu filho está matriculado na escola pública.