Um novo escândalo atinge a Igreja Católica e o Vaticano. Foi revelada a existência de um dossiê documentando em 1.200 páginas, contendo  histórias, prints de chats e conversas de whatsapp mostrando relações de 40 sacerdotes italianos com garotos de programa.

O relatório repleto do que foi chamado de “farras sexuais” já foi entregue às autoridades papais e ainda não se sabe qual será o destino, ou mesmo se os mesmos sofrerão alguma penalidade.


Veja também:


O cardeal Cresenzio Sepe, da arquidiocese de Nápoles, é o responsável por compilar as informações. Ele que afirmou que isso precisava ser investigado e denunciado afim de se punir aqueles que cometeram erros graves e permanecem cometendo, para que possam reconhecer seus erros e se arrependam deles.

Porém, ele ressalta que os padres que praticaram o ato são “pecadores” e não “criminosos”. “Estamos falando de pecados, não de crimes”, disse.

Vale ressaltar que neste caso, o envolvimento se deu apenas com adultos maiores de idade. Nenhum dos 40 sacerdotes – dentre eles 4 seminaristas e 36 padres – foi acusado de pedofilia.

Este é o primeiro escândalo do Vaticano em 2018. Vale lembrar que está longe de ser o primeiro, ou mesmo mais polêmico, já tendo a Igreja Católica sido alvo de inúmeras denúncias sexuais incluindo pedofilia.

Ano passado, por exemplo, um jornalista italiano lançou um livro alegando prática usual de sexo com menores em um seminário juvenil do Vaticano.


Veja também:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).