O proprietário do famoso bar gay temática leather Eagle, em Baltimore, confirmou que uma equipe da ‘SWAT’ vestindo ‘armadura negra’ invadiu suas instalações alegando que estava violando as regras do COVID-19.

O Baltimore Eagle faz parte do cenário LGBT+ da cidade de Maryland, nos Estados Unidos, há três décadas. Mas o proprietário do Eagle, Ian Parrish, disse ao GSN que as autoridades usaram força excessiva na operação de 7 de agosto.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Além disso, ele afirma que as pessoas que trabalham em um local concorrente LGBT+ deram início à operação. Ele diz que as alegações que fizeram contra o bar gay eram falsas. Quando as autoridades chegaram, Parrish disse que pediu para medir a temperatura e que a precaução “faz parte dos nossos protocolos COVID-19 para todas as pessoas que entram nas instalações”.

No entanto, ele afirma que eles responderam: “Somos a porra do conselho de bebidas”. Em um e-mail de reclamação enviado à Senadora do Estado de Maryland, Mary Washington, o proprietário relata: “a horda de agentes passou por mim. Eu estava jogando pingue-pongue de um lado para o outro enquanto cada agente me empurrava fisicamente da esquerda para a direita e para trás cerca de três metros enquanto eles forçavam sua passagem por mim”.

VEJA TAMBÉM:  O que é um Cruising Bar?

Ele acrescenta: “Não só esses agentes abusaram de sua autoridade ao me agredir, como colocaram nossos clientes em risco. Alguns deles nem usavam máscaras”. Ele disse que a ‘demonstração de força no estilo SWAT assustou os clientes a ponto de eles irem embora.

No entanto, o Departamento de Saúde da cidade de Baltimore descreveu a operação dos agentes como uma “inspeção” sendo que a ‘armadura corporal’ é um item padrão para proteger os oficiais, acrescentou o oficial.

Ele disse que o bar gay Eagle estava violando uma nova ordem da cidade, feita mais cedo naquele dia. Os agentes moveram os clientes internos para o espaço externo do Eagle e não impuseram uma penalidade. Além disso, ele disse que as autoridades estavam respondendo a uma reclamação sobre o Eagle hospedar uma “festa da espuma” em 7 e 8 de agosto. O panfleto da festa dizia: “ponha seu arnês e se joga espuma antibacteriana e segura em nosso salão com distância social. Obrigado por respeitar nossas diretrizes COVID-19”.

VEJA TAMBÉM:  Em bar gay, Ariana Grande dá dinheiro para drag queen; assista!

Alguns bares gays tradicionais em toda Europa foram fechados por não atender aos protocolo da Covid-19, ou por decretarem falência por conta do período de fechamento durante a pandemia.