Em 21 de dezembro de 2018, o cabeleireiro Plínio Henrique de Almeida Lima, de 30 anos, foi assassinado na Avenida Paulista, por motivações homofóbicas. Agora, a Divisão de Capturas do DHPP – Divisão de Homicídios e Proteção às Pessoas – confirmou que Jamerson  Matos dos Santos foi preso acusado de ameaçar e coagir testemunhas do caso.

Apesar de estar envolvido no caso, inicialmente, Jamerson havia sido ouvido apenas como testemunha, já que quem matou o cabeleireiro foi Fuvio Rodrigues Matos, amigo do suspeito, e acusado de desferir um golpe de canivete na vítima após fazer insultos homofóbicos ao rapaz.

No entanto, segundo a polícia, Jamerson passou a ameaçar e coagir testemunhas do caso, por isso, um mandado de prisão preventiva foi expedido a ele, pela  1ª Vara do Juri de São Paulo, no último dia 25 de outubro.

Desde então, o suspeito estava foragido. Agora, de acordo com informação divulgada pelo site R7, ele deverá responder pela prática de crime de homicídio qualificado.