Você pode dizer que a polícia no estado de São Paulo é truculenta.

Você pode dizer que a polícia no estado de São Paulo mata mais que as outras.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Você também pode dizer que a polícia no estado de São Paulo reprime manifestações como ninguém, desde professores até a sociedade civil em atos na Paulista.

Mas, uma coisa você não pode dizer de jeito nenhum: que a polícia de São Paulo está se miliciando.

Enquanto os policiais do Ceará (com o beneplácito do Governo Federal), aparecem em manifestações com o rosto coberto, com armas na mão e assustando a população mais do que os bandidos, a Polícia Militar de São Paulo tem um só chefe: o governador.

VEJA TAMBÉM:  13 fotos que mostram as diferenças nas lutas por direitos LGBTQ+ ao redor do mundo

No recente episódio na Assembléia Legislativa do Estado em que manifestantes foram postos para correr pela tropa de choque, o que o governador mostrou é que a polícia está sob seu controle e sob seu comando.

Não vou entrar no mérito se o que ele fez está certo ou errado. Se a Previdência do Estado está mesmo quebrada; ou, se metade dos manifestantes não era funcionário público mas, baderneiros contratados pelos sindicatos. Não, não vou entrar nesse mérito.

Só vou dizer que aqui em São Paulo, a policia está sob o comando do governador e não de milicianos.

Não há dissidência consistente nos comandos de batalhões e, o comandante geral da Polícia Militar está cumprindo seu dever de atender ao Governador.

VEJA TAMBÉM:  Lésbica, Primeira Ministra da Sérvia dá melhor resposta a ministro homofóbico

Policiais paulistas usam uniforme, usam escudos com o emblema da PM, usam capacetes e cassetetes comprados com dinheiro público para proteger a maioria do público nas manifestações.

Não usam o equipamento do Estado para serem uma quadrilha de bandidos armados como foi no Ceará.

Esta é a grande diferença entre o Estado de São Paulo e os demais, por enquanto. A Polícia é aparelhada pelo Estado para trabalhar para ele Estado e não para si própria como um esquadrão da morte que decide quem vai ou não morrer e por quanto…