Youtubers, Digital Influencers, e outros nomes que você queira dar aos internautas que têm milhares de seguidores é a profissão do momento. Ganha-se dinheiro da rede social, dos seguidores e, de empresas que patrocinam o dito cujo, no caso, Carlinhos Maia.

Ainda que ele não saiba, porque sabe muito pouco com seu intelecto limitado, DESCONHECER A LEI NÃO TE DESOBRIGA DE CUMPRI-LA. Isso é um preceito constitucional.

Quando Carlinhos diz a um seguidor: “Vai se matar, imbecil!”, está praticando crime de incitação ao suicídio, de acordo com o artigo 122 do Código Penal Brasileiro.

Nem falamos aqui sobre a falta de empatia que esse cara tem com todos. Esnoba seus luxos para uma população de pessoas miseráveis que o cercam e, tem predileção pelo crime de homofobia quando pega uma dupla de gays que se sujeitam a isso, para tirar sarro, para diminui-las e para fazê-las de micos de circo. Em tese, aqui, ele também comete crime de homofobia, ainda que seja gay. Ri e muito de uma vizinha com necessidades especiais e, a chacota dele para com os seus, é motivo de alegria de seus seguidores.

Grita aos quatro ventos, como tantos, que Jesus é isso e aquilo mas, tem um coração empedernido e o principal: não pratica a empatia. Aliás, as pessoas que mais eu vejo falando de Jesus e de coisas bíblicas são as mais odiosas e pouco empáticas que conheço. A razão é simples: são donas da verdade.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Não nos esqueçamos que ele, Carlinhos Maia, estava no mesmo lugar que este seguidor há muito pouco tempo quando, desentendendo-se com Whinderson Nunes e sua mulher, chorou com a cara toda torta de botox, dizendo-se arrependido de ter falado poucas e boas para o casal.

A depressão, a tristeza, a solidão, rondam não só o seguidor que queria se matar como qualquer um de nós em qualquer dia.

Não dá para um cara com tantos milhões de seguidores dar uma mancada dessas.