David Bridle – editor da boyz, famosa revista que perdeu força nos anos 2000 – deu uma entrevista à revista Spiked para reclamar sobre como ele foi vítima de uma caça às bruxas depois que ele propositalmente promoveu a aliança LGB (entenda a treta nesse link), que é um conhecido grupo anti-trans.

Bridle alega que está sendo “punido pelo estabelecimento ‘progressista’ apenas por debater questões trans.” Claramente, ele perde o argumento, visto que questões trans não estão em debate.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Na verdade, talvez sua atitude mudasse se disséssemos a ele que ele não está sendo punido, mas sim, estamos “apenas debatendo” a relevância da revista em 2021. Você não pode simplesmente “debater” os direitos humanos / existência das pessoas e não esperar que elas sejam ofendidas.

O editor da Boyz acrescenta que a aliança LGB: “acredita no sexo biológico ao invés de políticas públicas baseadas em gênero” (uma forma indireta de dizer “apagamento trans”), continuando, “mas para fins de debate comunitário, por que não ouvir?”

VEJA TAMBÉM:  Mulher trans é barrada em salão de beleza: "não atendemos pessoas assim"

Deve ser porque pessoas trans estão sendo assassinadas em taxas surpreendentes? E essas “discussões” apenas abrem espaço para a aceitação da transfobia, senhor editor?

Ele continua a criticar o anunciante THT por sua decisão de retirar os anúncios (embora a THT tenha dito, como mencionado, os anúncios são ‘inúteis’ sem leitores) durante a semana de teste de HIV, chamando-o de um período “assustador” para “nossa comunidade”.

O editor da boyz deve estar se referindo à comunidade LGB, porque a ironia gritante aqui é que ele ficou ofendido com a ideia de alguém “colocar em perigo” a vida de homens gays, quando é exatamente isso o que ele está fazendo à comunidade trans. Não é de se admirar que seu editor de assuntos trans simplesmente tenha desistido de trabalhar com ele.